25 ANOS DE ADRIL :: O LEADER MUDOU O VALE DO LIMA

0 338

Numa altura em que a ADRIL – Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Lima comemora 25 anos de existência, realizou-se, no transato dia 16 de janeiro, na Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, o seminário “O LEADER NO VALE DO LIMA”, onde foi reconhecido o trabalho que esta associação desenvolveu, nomeadamente, através dos apoios captados, para esta região, pelo programa LEADER.

Estiveram presentes, entre vários agentes públicos e privados, o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres; o presidente de Câmara de Ponte de Lima, Victor Mendes; de Ponte da Barca, António Vassalo Abreu;  de Arcos de Valdevez, João Esteves; e o vereador de Viana do Castelo, Luís Nobre.

Numa primeira mesa foi debatido o potencial agrícola no Vale do Minho, com intervenção de José Carlos Santos, da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, sendo salientados os avisos para futuras candidaturas, por Célia Capitolina e Bruno Leitão, ambos técnicos da ADRIL.

Numa das suas intervenções, Francisco Calheiros, presidente da ADRIL declarou que esta, “desde a sua fundação foi uma exímia intérprete do programa LEADER”,  enaltecendo a Comissão Europeia que “em boa hora” criou um programa “para o desenvolvimento rural, com uma filosofia inovadora, dando oportunidade às zonas rurais desfavorecidas de ver financiadas as iniciativas locais que melhor refletissem uma estratégia para a implementação dum plano de ação que apoiasse o incremento dos recursos endógenos, potenciando a economia local, combatendo o êxodo rural e criando novas oportunidades para a fixação de investimentos”.

Das ações desenvolvidas nestes anos, o presidente da ADRIL salientou a “recuperação do património, preservação do ambiente e resgaste das Tradições Culturais e gastronómicas” que, para ele, se traduziram “numa proposta de fazer do Turismo de Habitação e Turismo Rural o eixo da atividade económica em torno da qual se desenharam novas medidas e ações para um novo paradigma do desenvolvimento do Vale do Lima”.

O PRODER foi responsável pelo investimento de 20,2 milhões de euros com a criação de 272 postos de trabalho diretos, num contributo muito importante para que, ao longo dos 25 anos fossem investidos uma totalidade de 34,5 milhões de euros, num território da qual fazem parte os municípios dos Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Ponte de Lima e parte de  Viana do Castelo.

Para João Esteves, presidente da Câmara dos Arcos de Valdevez, primeiro deve-se dar os parabéns à ADRIL pelos 25 anos e a todos aqueles que durante estes anos trabalharam com a ADRIL.

“O LEADER foi, sem dúvida, uma peça fundamental no desenvolvimento local de maior proximidade. Se não fosse o LEADER, o turismo em espaço rural não seria o que é hoje. Os produtos locais, a sua promoção e divulgação beneficiaram muito da ação deste programa”.

“De Ponte da Barca a Lisboa é muito mais perto que de Lisboa a Ponte da Barca. Isto significa que quem toma decisões políticas não pode estar dependente de gente que só conhece o território através do Google”

António Vassalo Abreu, autarca barquense, destacou a articulação entre as autarquias e a ADRIL. “Tem sido uma realidade e isso permitiu-nos fazer um bom aproveitamento das oportunidades que tivemos nos variadíssimos níveis”.

“Destaco, por exemplo, o aproveitamento destes programas na recuperação das aldeias. Ponte da Barca tem mais de 50% do território pertencente ao Parque Nacional Peneda-Gerês, que é um dos 14 parques transfronteiriço, no mundo,  que é declarado Reserva da Biosfera pela UNESCO. Isto é uma riqueza que temos sabido aproveitar. E hoje, quando se fala de Lindoso, Mezio, Soajo, da Ermida ou Germil, vê-se a marca da ADRIL na recuperação do património”.

O edil de Ponte da Barca aproveitou a ocasião para endereçar um recado ao secretário de Estado presente; “de Ponte da Barca a Lisboa é muito mais perto que de Lisboa a Ponte da Barca. Isto significa que quem toma decisões políticas não pode estar dependente de gente que só conhece o território através do Google. Os territórios de baixa densidade precisam de um acompanhamento permanente que deve ser feito por quem toma decisões”.

Outro dos atores a usar da palavra foi Victor Mendes, líder do município limiano que referiu que “este é um projeto que, indiscutivelmente, mudou, para melhor, o Vale do Lima. Quero realçar a excelente parceria, durante este período, entre o setor público e o privado. É um exemplo não só a nível regional mas também nacional, de como todos, em conjunto, podemos dar o contributo para o desenvolvimento de um concelho, de uma região ou de um país”.

O vereador da Câmara de Viana do Castelo, Luís Nobre, também realçou “duas vertentes que são perceptível por quem percorre este território”. “Uma é a vertente humana. Apesar de ser um território de baixa densidade, a ADRIL soube utilizar os fundos que foram disponibilizados para saber estancar e fixar as pessoas e os jovens nesta região. Depois há a dimensão física que se manifesta de várias formas e as intervenções no património são um registo deste trabalho”.

“Está demonstrado que quem está mais próximo aplica melhor, ao contrário do que se costuma dizer (quem está mais próximo decide melhor)”. “Aqui, é possível perceber que essa aplicação se for feita com conhecimento e proximidade trará melhores resultados”.

“Souberam tirar partido e obter resultados com uma grande capacidade de antecipação, em relação a muitos outros concelhos e regiões deste país, que não tiveram a ousadia e habilidade de o fazerem da mesma forma”.

Para finalizar, o secretário de Estado, Amândio Torres, usou da palavra e mostrou-se conhecedor da realidade local, não manifestando surpresa nas palavras elogiosas que ia ouvindo sobre o trabalho da ADRIL.

“Quando soube que vinha fazer esta intervenção, fui-me documentar. E aquilo que ouvi aqui, não foi novidade porque já estava bastante documentado”.

“Apenas concluí que, desde 1991, e de forma muito inteligente, souberam realizaram projetos que nasceram da união das ideias com a ambição. Souberam tirar partido e obter resultados com uma grande capacidade de antecipação, em relação a muitos outros concelhos e regiões deste país, que não tiveram a ousadia e habilidade de o fazerem da mesma forma. O vosso caso é um belo exemplo de como fazer”.

No final, à VALE MAIS, Francisco Calheiros confidenciou que estava muito feliz por ter uma forte participação de todos os promotores do programa LEADER, quer das entidades públicas quer das privadas. “Este é um momento histórico e muito importante, que representa uma intervenção no Vale do Lima e que é o motor de um conjunto de iniciativas e movimentos, que surgiu há 25 anos, e que se manter vivo, forte e capaz de ser continuado nos próximos 25”.

25 ANOS DE ADRIL 

Tudo começou em março de 1991, quando a TURIHAB – Associação de Turismo de Habitação tomou conhecimento da iniciativa comunitária LEADER e pretendeu sensibilizar algumas entidades locais, públicas e privadas, com o objectivo de criar uma associação para formular uma candidatura ao Programa.
O primeiro protocolo de intenções foi assinado a 9 de Abril daquele ano, iniciando-se imediatamente a elaboração do projeto. E a 17 de Julho foi assinada a escritura notarial da constituição da ADRIL – Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Lima, ficando todos os seus subscritores inseridos nos respectivos corpos sociais. Pouco tempo depois, a 21 de Agosto, a Assembleia Geral da ADRIL aprovou a candidatura ao Leader, formalizada a 5 de Setembro. 
Agora, passados 25 anos e num auditório praticamente repleto, o presidente da Associação, Francisco Calheiros, juntou agentes públicos e privados que têm trabalhado em prol desta região.

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta