AECT Rio Minho define plano de atividades

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho, constituiu, esta quarta-feira, a Mesa da Assembleia Geral, num ato celebrado na sede em Valença e presidido pela presidente da Deputación de Pontevedra, Carmela Silva, e pelo presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, José María Costa. Trata-se do último passo na formalização da entidade que, a partir deste momento, começa o trabalho de desenvolvimento do plano de atividades para o 2018.

A sessão começou com a tomada de posse dos membros da mesa, composta por 20 presidentes de Portugal e da Galiza. Em representação do território galego foram nomeados como delegados os alcaldes dos concelhos de Arbo, As Neves, Salvaterra do Miño, Tui, Salceda de Caselas, Tomiño, O Rosal, A Guarda, Ponteareas e O Porriño. Do lado português, tomaram posse os 10 municípios que formam a CIM Alto Minho: Arcos de Valdevez, Monção, Melgaço, Valença, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Ponte da Barca e Viana do Castelo.

Como presidente da mesa da Assembleia foi eleito o autarca de Viana do Castelo e presidente do CIM Alto Minho, José María Costa, e Marcos Besada, alcalde de Salceda de Caselas, foi designado como secretário, cargo que ambos desempenharão durante os próximos dois anos. O Conselho Fiscal será presidido pelo autarca de Valença, Jorge Mendes. Em abril, e com rotatividade bienal, já tinha sido instalado o Conselho Coordenador do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial do Rio Minho – AECT Rio Minho, tendo como diretor Uxio Benítez Fernández, Deputado de Cooperação Transfronteiriça da Deputación de Pontevedra, e como vice-diretor Fernando Nogueira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira.

De acordo com o diretor da AECT Rio Minho e deputado de Cooperação Transfronteiriça, Uxío Benítez, a constituição da Assembleia do Agrupamento foi “o último passo na formalização do esquema da AECT e que, a partir deste momento, começa o trabalho de desenvolvimento do plano de atividades para o 2018”. O orçamento aprovado para o primeiro semestre de instalação é na ordem dos 75 mil euros.

Uxío Benítez sublinhou que “este será um ano de transição de algumas das responsabilidades de gestão e continuidade de projetos e expedientes até agora assumidos pela extinta Uniminho”. O deputado provincial adiantou que “entre as ações mais relevantes a cargo do AECT nos próximos meses estará a consolidação institucional do agrupamento na região, a promoção da coordenação dos projetos transfronteiriços Smart Minho e Visit Rio Minho e a promoção e a participação em novas candidaturas com financiamento europeu”.

O AECT Rio Minho nasce com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento e reforço da coesão económica e social do seu território. Tem como objetivos articular o espaço comum, promover as relações de cooperação territorial, aumentar a coesão institucional do território de ambas margens do rio Minho, promover o seu património cultural e natural, valorizar as potencialidades dos recursos endógenos e consolidar uma marca turística comum para os dois países.

Os dois sócios principais do AECT são a CIM Alto Minho e a Deputación de Pontevedra, que aglutinam 10 municípios do Alto Minho, e 16 concelhos da Deputacion Pontevedra, abrangendo mais de três mil quilómetros quadrados de território e 375.995 habitantes.

A criação do AECT Rio Minho foi impulsionada pelas ações de Estratégia de Cooperação Inteligente Transfronteiriça do projeto Smart Minho, que conta com uma dotação de 942.022,47 euros, cofinanciado ao 75% pelo programa INTERREG VA POCTEP, fundos FEDER da União Europeia.

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta