0 120

Fundada em 1994, a AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual é uma associação sem fins lucrativos, sedeada em Viana do Castelo, que alia a formação e a produção de documentários à atividade cineclubista. As atividades que promove perseguem três vertentes principais: a divulgação de cinema, a produção de documentários e a formação. 

Na área da divulgação e do trabalho cineclubista promove sessões de cinema semanais, as Sessões Cineclubistas, no Cinema Verde Viana. Já exibiu centenas de filmes, muitos deles destinados aos alunos das escolas, com o objetivo de formar novos públicos. Mantém um Centro de Documentação de Cinema, uma DVDteca e uma galeria com exposições permanentes. Criou e gere um portal na Internet, o LUGAR DO REAL, um sítio de visionamento de documentários, de filmes e vídeos escolares e de fotografia documental, disponibilizados para fins pedagógicos, de investigação e culturais.

Além de vários projetos audiovisuais, produziu vinte e seis documentários de carácter etnográfico e social. No campo da formação promove, regularmente, workshops e organiza cursos e ações de formação junto das escolas, atividade que se estende pelos projetos Olhar o Real, Vídeo na Escola, Histórias na Praça, Os Lumière na Sala de Aula, Cinepoesia e O Filme da Minha Vida, atividades que abrangem crianças e jovens desde o pré-escolar ao ensino superior.

Na área da literacia audiovisual, a AO NORTE fundou, juntamente com cinco associações europeias ativas na intervenção cultural e social o YEAD, Young European (Cultural) Audience Development, um projeto que, através do cinema, permite a jovens criadores dos vários países trabalharem em novas estruturas culturais e conteúdos através de um programa de workshops paralelos e intercâmbios entre países.

A AO NORTE organiza, anualmente, os Encontros de Cinema de Viana, em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, iniciativa que já vai na sua décima sexta edição. Estes Encontros, dedicados à capacidade formativa e pedagógica do cinema, afirmam-se como uma experiência única no meio cultural da região e do país, ao proporcionar um espaço comum de partilha, formação e debate em que confluem estudantes de cinema e das escolas de região, cineclubistas de Portugal e da Galiza e público em geral, enriquecido com a participação ativa de profissionais deste meio artístico.

Um outro Festival organizado pela AO NORTE, desta vez em parceria com a Câmara Municipal de Melgaço, é FILMES DO HOMEM, Festival Internacional de Documentário de Melgaço. É à volta de três palavras-chave, Identidade, Memória e Fronteira, que FILMES DO HOMEM se desenha e encontra a sua identidade.

Organiza, ainda, em estreita colaboração com a Junta de Freguesia de S. Lourenço da Montaria, o Montaria_Documentário e Património Rural, uma iniciativa que pretende refletir, com o documentário, sobre o mundo rural e valorizar o património e os recursos endógenos.

Atualmente, esta associação tem o estatuto de ONGD (Organização Não Governamental para o Desenvolvimento) e o de utilidade pública. Em 2014, a Câmara Municipal de Viana do Castelo atribuiu-lhe o galardão de Instituição de Mérito.

Links úteis

http://www.ao-norte.com/

http://lugardoreal.com/

http://www.filmesdohomem.pt/

0 147

ano letivo 2016/2017

A imagem é o meio de comunicação do nosso quotidiano. Devido à sua complexidade e à manipulação que lhe pode dar múltiplos sentidos, a imagem precisa ser analisada, descodificada e compreendida. E é junto dos jovens, tendo como parceiro privilegiado a Escola, que a Associação AO NORTE, em colaboração com a Câmara Municipal de Viana do Castelo e o ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual propõe atividades originais e diversificadas de aprendizagem que atravessam os vários níveis de ensino. 

Esta iniciativa denominada Escolas em Grande Plano surge na sequência do sucesso obtido desde 2002 com várias atividades isoladas de formação audiovisual e da solicitação de vários professores e Escolas, já materializada na celebração de protocolos de parceria.

A proposta que se apresenta para o ano letivo 2016/2017, integra as ações Escola no Cinema, Vídeo na Escola, Os Lumière na Sala de Aula, CINEpoesia, Histórias na Praça, a oficina Olhar o Real e a participação no Ação03! – Festival Nacional de Vídeo Escolar.

Com diferentes objetivos pedagógicos e destinatários, estas ações procuram desenvolver o interesse pelo cinema e o audiovisual, sensibilizar alunos e professores para estas formas de expressão e para as tecnologias associadas e proporcionar aos jovens os meios de criação e de produção que permitam novas formas de expressão.

As escolas que participarem em projetos de formação cinematográfica e audiovisual farão parte da Rede Escolas em Grande Plano, que tem como objetivos promover a literacia audiovisual, o sentido crítico, a capacidade de compreender, o saber fazer, pensar e refletir com as imagens.

Escola no Cinema 

(destinatários – alunos do Ensino Básico, Secundário, Profissional e Superior)

Filmes propostos às escolas, com visionamento em sala de cinema e análise em sala de aula.

Escola no Cinema pretende cruzar temas da atualidade com a descoberta da linguagem cinematográfica.

Vídeo na Escola 

(destinatários – 1º Ciclo do Ensino Básico)

Vídeo na Escola tem como principal objetivo promover o contacto dos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico com a linguagem audiovisual.

O projeto propõe às escolas que os alunos de uma turma participem na criação de um guião para um filme e participem na sua realização.

A partir da uma ideia selecionada por todos é elaborado um guião com a ajuda dos formadores. Fazem-se os adereços necessários e parte-se para o registo das imagens. Os alunos são parte ativa ao longo da realização de todo o percurso formativo.

Os Lumière na Sala de Aula 

(destinatários – alunos do Ensino Básico, Profissional e Secundário)

Projeto pedagógico incluído nas aulas de Língua Portuguesa, Francês e disciplinas relacionadas com Artes, aborda a narrativa e proporciona um espaço de criação audiovisual.

Tem como principais objetivos: 

• Abordar a narrativa e o texto não literário; • Educar para o cinema através do contacto com a linguagem audiovisual; • Proporcionar um espaço de criação audiovisual.

CINEpoesia 

(destinatários – alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico e Secundário)

Projeto pedagógico incluído nas aulas de Português e Educação Visual, que aborda o texto poético e proporciona um espaço de criação audiovisual.

Durante a ação, os alunos de uma turma são divididos em grupos de trabalho (3 ou 4 alunos) e, cada grupo, realiza um vídeo a partir de um poema previamente escolhido.

Histórias na Praça 

(destinatários – alunos do Ensino Básico, Secundário, Profissional e Superior)

Esta ação de formação está integrada nos Encontros de Cinema de Viana e procura sensibilizar os participantes para o processo criativo da criação cinematográfica com destaque para as fases da preparação e rodagem de um filme, destinadas a compreender o processo criativo e técnico, através de análises das estratégias e métodos escolhidos na adaptação do imaginário da história.

Uma turma de alunos, orientada por um professor, propõe uma história para ser filmada. Depois de selecionada, será filmada numa manhã ou numa tarde, durante os XVII Encontros de Cinema de Viana.

Olhar o Real 

(destinatários – Alunos do Ensino Secundário, Profissional e Superior)

A oficina Olhar o Real proporciona um espaço de aprendizagem e de experimentação, através da realização de documentários em vídeo digital, apresentando um programa de estudo fundamentalmente prático cujo objetivo principal é sensibilizar os interessados para aspetos da realização vídeo-cinematográfica na área do documentário contemporâneo.

São abordadas as seguintes áreas: câmara, som, iluminação, realização e montagem.

Para concluir a oficina Olhar o Real, cada participante na realização de um documentário e desenvolve um projeto pessoal no campo do documentário de criação.

Resultados fílmicos disponíveis para visionamento on-line.

Ação03! Festival Nacional de Vídeo Escolar 

(destinatários – Alunos do Ensino Básico, Secundário, Profissional e Superior

O Festival Nacional de Vídeo Escolar integra os Encontros de Cinema de Viana e tem como principais objetivos:

• Promover a prática e a cultura audiovisual em contexto escolar;

Sensibilizar as escolas para a utilização do vídeo como ferramenta criativa;

• Divulgar experiências que promovam a familiarização com o cinema e as imagens animadas;

• Favorecer o encontro e a troca de experiências e ideias entre alunos, professores e profissionais do audiovisual e do cinema.

• Divulgar em sala obras audiovisuais produzidas nas escolas.

Os alunos podem participar de duas formas: assistindo às projeções dos filmes candidatos aos prémios do Festival e enviando filmes a concurso.

O Filme da Minha Vida 

(destinatários – alunos do Ensino Secundário e Superior

O Filme da Minha Vida tem como objetivo pedagógico abordar a relação entre ilustração, banda desenhada e cinema.

Conta com a projeção e análise do filme escolhido por um autor de banda desenhada/ilustrador, a apresentação do livro da coleção O Filme da Minha Vida, uma exposição dos originais e um encontro/debate com o autor, para os quais serão convidados a participar alunos de artes visuais e de disciplinas relacionadas com o audiovisual, comunicação e língua portuguesa.

Os filmes realizados desde 2002, em colaboração com as Escolas, estão disponíveis para visionamento on-line no Portal LUGAR DO REAL, no endereço: http://lugardoreal.com/escolas?tag=ao-norte

 Inscrições e informações através do e-mail: ao-norte@nortenet.pt

0 194

Está aí mais uma edição do FILMES DO HOMEM, Festival Internacional de Documentário de Melgaço, este ano dedicado ao tema identidade(s). É através do Cinema que o festival propõe um olhar sobre a humanidade, múltipla, complexa e, também por isso, fascinante. Ao reconhecer estas características, o evento encontra um espaço para celebrar a diversidade, quer humana quer cinematográfica, privilegiando a inclusão das identidades das margens, com olhares centrados nas periferias.

É através de uma mostra competitiva, na qual é atribuído o prémio Jean Loup Passek, que se revelam olhares de vários realizadores e que se constroem narrativas de valor estético sobre temas como a identidade, a memória e a fronteira. Uma forma de promover o cinema etnográfico e social, questionando os limites geográficos impostos ao ser humano e promovendo a tolerância. Estão por isso selecionados para a terceira edição deste festival uma multiplicidade de abordagens, filmes políticos e sociais, mas também ensaios poéticos e narrativas autobiográficas que exploram e questionam a memória.

As 13 longas-metragens e 14 médias e curtas-metragens selecionadas são disso exemplo. São filmes que unem essa diversidade, ao mesmo tempo que tornam visíveis os problemas de adaptação nos deslocamentos humanos e as identidades nacionais. Filmes sobre os refugiados sírios que diariamente chegam à Europa, sobre os portugueses emigrados em França, sobre as memórias de um avô rememorado, sobre a fé que acompanha as peregrinações, sobre os desabafos femininos que acontecem num cabeleireiro que recebe mulheres árabes e judias… os 27 filmes selecionados apresentam uma multiplicidade de abordagens, filmes políticos e sociais, mas também ensaios poéticos e narrativas autobiográficas que exploram e questionam a memória.

O Festival dedica-se também a identificar e registar as histórias da região que espelham estas mesmas problemáticas. Através da residência artística Plano Frontal, destinada a jovens criadores, o município revela a preocupação e o cuidado de encontrar essas histórias e registá-las, para evitar que esses fragmentos desapareçam, criando um arquivo audiovisual com imagens fixas e em movimento, e construindo um acervo. Já nas duas edições anteriores se realizaram filmes documentais e projetos fotográficos. Em 2016, mais uma vez, acolher-se-ão equipas de jovens artistas, para prosseguir com esse trabalho de recolha e representação das memórias locais.

Os processos migratórios e de identidade nas representações cinematográficas são também matéria de questionamento e reflexão no seminário de verão denominado Fora de Campo. Estimula-se assim o debate multidisciplinar e aproximam-se abordagens artísticas, tecnológicas e das ciências sociais e humanas ao cinema. O seminário realiza-se de 3 a 7 de agosto e é gratuito para os habitantes do município. É um espaço de encontro, de partilha, de questionamento, com uma abordagem teórica e prática.

Haverá ainda lugar a exposições de fotografia, apresentações de filmes pelos realizadores, exibição de filmes ao ar-livre, em regime de itinerância pelas freguesias envolventes de Melgaço e na Galiza, do outro lado da fronteira.

Mas apesar de evocarmos memórias não queremos ancorar-nos no passado. As histórias que buscamos, em cada uma das iniciativas do Festival Internacional de Documentário, são do domínio do tempo presente, seja na vivência ou na lembrança. O que pretendemos com esta reflexão é, sobretudo, olhar o futuro.

http://www.filmesdohomem.pt

0 256

Festival constitui experiência única

AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual realiza, desde 2001, em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, os Encontros de Cinema de Viana, um espaço de exibição, formação e reflexão, com aposta numa forte ligação aos mais jovens, a convocação de um espectro amplo e plural de públicos e o estímulo do trabalho criativo sobre a imagem e do seu poder para representar o que nos rodeia.

Os Encontros de Cinema de Viana é um festival que se tem afirmado como uma experiência única no meio cultural da região e do país, ao proporcionar um espaço comum de partilha, formação e debate em que confluem estudantes de cinema e das escolas da região, cineclubistas de Portugal e da Galiza, investigadores e público em geral, enriquecido com a participação ativa de profissionais deste meio artístico.

Os Encontros de Cinema de Viana marcam uma clara diferença de quem quer prudentemente desenvolver um trabalho de formação, programação, divulgação e promoção de novas esferas cinematográficas, assente na mais complexa e desafiante proposta a longo prazo: a formação de público. Os Encontros de Cinema de Viana centram-se nas gerações mais novas, sem esquecer as antecedentes.

VERTENTE PEDAGÓCIA E DE INVESTIGAÇÃO

Todo este trabalho assenta em atividades com uma vertente pedagógica e de investigação bem marcadas, que se têm consolidado de edição para edição.

A 16ª edição dos Encontros de Cinema irá decorrer de 10 a 15 de maio, tendo por palco principal o Teatro Municipal Sá de Miranda em Viana do Castelo.

Destacam-se as seguintes atividades:

A 5.ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE CINEMA DE VIANA, é um espaço de reflexão e de partilha de experiências visando a construção de uma comunidade internacional de interesses e de divulgação de projetos relacionados com duas temáticas centrais do cinema – cinema e escola e cinema, arte, ciência e cultura.

PRÉMIO PRIMEIROLHAR – Secção competitiva dos Encontros de Cinema, com o objetivo de promover o documentarismo e premiar o melhor documentário realizado por alunos de escolas de cinema, de audiovisuais ou comunicação, e por participantes em cursos de documentarismo promovidos por outras entidades de Portugal, da Galiza, do Brasil e dos outros países de língua portuguesa.

AÇÃO02! – FESTIVAL DE VÍDEO ESCOLAR, tem por principais objetivos, a promoção da prática e a cultura audiovisual em contexto escolar, sensibilização das escolas para a utilização do vídeo como ferramenta criativa, divulgação das experiências que promovam a familiarização com o cinema e as imagens animadas, o favorecimento do encontro e a troca de experiências e ideias entre alunos, professores e profissionais do audiovisual e do cinema, bem como a divulgação em sala obras audiovisuais produzidas nas escolas.

A SECÇÃO OLHARES FRONTAIS é um espaço privilegiado de partilha e conhecimento entre alunos das escolas de cinema, cineclubistas e profissionais do meio cinematográfico. Nesta secção são apresentadas experiências de escolas de ensino superior de cinema e audiovisual, nacionais e internacionais, com a apresentação de filmes pelos alunos. São promovidos debates e master classes.

A programação em detalhe pode ser consultada em: http://www.ao-norte.com/encontros.php

0 585

AO NORTE // ASSOCIAÇÃO CINECLUBISTA

O site Lugar do Real <lugardoreal.com> está com novas funcionalidades e design! Este é espaço virtual criado pela AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual  que permite o visionamento de documentários, de vídeos escolares e da fotografia documental. Disponibilizados para fins pedagógicos, de investigação e culturais, com opção de visionamento em “Normal”, “Alta” e “HD”.

Mais agilizado e intuitiva, a plataforma dispõe de quatro secções de funcionalidade, se assim se pode dizer. São elas o Lugar do Real, com “documentários e outros olhares”, a de Vídeos nas Escolas, a de Foto memória e a Lab.

Neste, ainda em fase de construção, são apresentadas narrativas como a da Fotografia Falada, um projeto de salvaguarda da memória e do património imaterial. Consiste no registo vídeo de um depoimento e tem, como ponto de partida, uma fotografia comentada pela pessoa nela retratada. Também se lhe pede que fale da época e do contexto familiar e socioeconómico em que foi tirada. Há, ainda, neste âmbito, outras narrativas previstas, como o projeto Aldeias do Mar e a Fotografia Documental.

Já o Lugar do Real constitui uma alternativa ao acesso e valorização do documentário, alargando o visionamento a obras condenadas a uma divulgação residual. Desde sobre a visita ao marido no estabelecimento prisional às romarias da Senhora da Agonia, em Viana do Castelo, e Senhora da Bonança, em Vila Praia de Âncora, passando pelas tradições (como o Auto de Floripes), a de atividades tradicionais (como da ceramista) e do trabalho na doca comercial de Viana e no porto de Vigo.

Pretende ser uma base de dados que facilite aos programadores a seleção de documentários e de outras obras audiovisuais para projeção em sala; um encontro com “outros olhares” – registos na área da antropologia visual, depoimentos, memórias, entrevistas, imagens de arquivo, etc; bem como um incentivo para a recuperação e partilha, em formato digital, dos filmes em 8mm com valor histórico e cultural (Século XX em 8mm);

Por sua vez, a de Vídeo na Escola é constituída por centenas de registos em diversas escolas da região. Desde pequenos ensaios cinematográficos sobre história, artes ou costumes a ações de sensibilização para a segurança e outros aspetos visando, particularmente, os mais novos. Mas  também são apresentados registos efetuados aquando de um trabalho em África, mais concretamente, em Angola. A literacia audiovisual constitui, obviamente, um dos desideratos.

Já a nível da Foto memória, há o recurso aos álbuns familiares com registos fotográficos do séc. XX, sobre momentos festivos e especiais nas suas vidas ou da presença militar nas ex-colónias. Mas também de outras ocasiões, como a daquela em que, na sua visita ao Norte, em 1901, o príncipe D. Luís Filipe visita Monção com os seus perceptores Mousinho de Albuquerque e Keraush, e é ali recebido pelas autoridades locais.

0 533

AO NORTE // ASSOCIAÇÃO CINECLUBISTA

A realizadora peruana Heddy Honigmann, um dos nomes mais relevantes, a nível mundial, do cinema documental, esteve em Viana do Castelo. Foi no âmbito do DocNomalds, um mestrado internacional centrado no documentário, que resulta da parceria de universidades de Portugal, Hungria e Bélgica: Universidade Lusófona, de Lisboa; University of Theatre and Film Arts, de Budapeste; e a Universidade LUCA, de Bruxelas.

O projeto DocNomads tinha já sido apresentado em maio último, durante os XV Encontros de Cinema de Viana, promovidos pela associação AO NORTE, com o apoio da Câmara Municipal, na secção Olhares Frontais. Na ocasião, foram apresentados um conjunto de filmes com a presença de realizadores, que têm a tutoria, em Portugal, de Margarida Cardoso.

Agora, em novembro último, no âmbito desse mestrado – com dois anos de duração e aulas em inglês – Viana do Castelo acolheu, durante 15 dias, parte do DocNomads, com masterclasses eworkshops, aulas e intensivas filmagens. O processo foi coordenado pelos realizadores Tiago Hespanha e Margarida Cardoso.

A AO NORTE e a Escola Superior de Educação (ESE) trouxeram, a Viana do Castelo, 26 jovens realizadores oriundos de vários países. O resultado passou pela produção de 12 exercícios fílmicos, de cinco minutos, sobre personagens locais. Estes exercícios a não desprezar, até pelo facto de irem projetar a capital alto minhota e os seus habitantes junto dos mais diversos públicos e em múltiplas paragens.

Além disso, refira-se a oportunidade para a região que representou o facto de este mestrado ter passado pela cidade da foz do Lima. Com efeito, além dos jovens realizadores internacionais, em várias das iniciativas que compreendeu, participaram estudantes, investigadores, professores e outros interessados de várias partes do país, mais de quatro dezenas. Além disso, 13 jovens estudantes da ESE vianense integraram as equipas de filmagens, cooperando nas diversas fases daqueles exercícios fílmicos, desde a pesquisa até à montagem final.

A oportunidade serviu, ainda, para estreitar e testar parcerias que envolveram entidades públicas e privadas vianenses, constituindo, ao mesmo tempo, a oportunidade para juntar personalidades ligadas ao cinema, com visões e perspetivas diferentes do cinema documental, na cidade alto minhota. A troca de conhecimentos  proporcionada e o convívio com personalidades de referência, nomeadamente, Heddy Honigmann, constituíram momentos que, indubitavelmente, deixam marcas bem positivas.

 Além disso, representou, também, mais uma ocasião de mostrar as potencialidades locais a nível paisagístico e patrimonial, bem como de setores como a hotelaria e restauração (gastronomia), a visitantes de origens bem diversas. Estes, pelo seu testemunho e pelos filmes/documentários realizados constituem, também, uma excelente oportunidade de promover a cidade nas mais “desvairadas” paragens de além-fronteiras, algo que não pode, de forma alguma, ser menosprezado. Bem antes pelo contrário!