Edifício das Tílias :: “Dinamizar Santa Luzia para atrair mais visitantes”

0 99

A Confraria de Santa Luzia acaba de inaugurar o edifício das Tílias, um imóvel que integra diversas valências e é considerado um “equipamento estrutural” com albergue de peregrinos/hostel, museu e um espaço de restauração. A inauguração decorreu no passado dia 24 de março e a cerimónia foi presidida por Anacleto Oliveira, Bispo de Viana do Castelo. Aproveitamos a ocasião para entrevistar Pedro Reis, presidente desta Confraria que foi fundada a 19 de Março de 1884.

Sobre o Edifício das Tílias

É constituido por três pisos. No 1.º está situado o Museu com o espólio da Confraria e o restaurante que também prestará apoio ao albergue. Este situa-se no 2.º andarn e é constituido por seis camaratas com lotação 36 pessoas, além de uma outra com duas camas para pessoas com mobilidade reduzida. O 3.º piso está destinado aos serviços administrativos e armazenamento de material.

Para Pedro Reis, “Este edifício foi idealizado com o propósito de um albergue para peregrinos que se aventurassem nos caminhos de Santiago de Compostela, mas também para aqueles peregrinos que a sua devoção seja Santa Luzia e o sagrado coração de Jesus”. 

“Foi pensado, não só para acolher o albergue mas também para ser dotados de várias valências que á data da sua idealização não existiam em Santa Luzia, nomeadamente o museu da Confraria, um restaurante de apoio e diversos espaços de apoio aos trabalhos da confraria, tais como oficinas e espaços de trabalho”. 

“A ideia de criar este edifício plurifuncional surgiu pela profunda convicção que esta valência é demasiadamente importante para que o espaço possa projetar ainda mais a estância de Santa Luzia, a atrair cada vez mais a devoção ao sagrado coração de Jesus e a Santa Luzia. De salientar, ainda, que a criação do museu da Confraria, exporá a maravilhosa história da construção do templo, bem como a enorme riqueza que a Confraria possui, nos seus textos, projetos, imagens e outros objetos de incalculável valor histórico e que merecem lugar de elevado destaque”.

Pedro Reis não tem dúvidas que “a oferta de um local onde se possa pernoitar e um local onde se possa tomar uma refeição quente para o peregrino é sem dúvida uma lacuna existente na nossa maravilhosa estância”. 

As expectativas são as melhores. “Acreditamos que este edifício vai dinamizar ainda mais a Estância atraindo cada vez mais o culto a Santa Luzia e atraindo cada vez mais visitantes ao espaço”.

Para o presidente da Confraria este “é o concretizar de uma pequena parte do plano de desenvolvimento da estância e a criação de uma valência inexistente num espaço que pedia claramente por este edifício. Significa também um aumento da responsabilidade para quem gere e faz parte desta equipa de trabalho”.

A construção decorreu sem sobressaltos

“A construção foi concluída dentro dos prazos e custos definidos inicialmente. Esta obra foi lançada a concurso público com um valor base de 1.100.000€ e foi adjudicada por 1.049.000€. No final o valor do orçamento global da construção não ultrapassou o 1.040.000€”. 

“Já o custo total da obra foi de aproximadamente 1.200.000€, incluindo neste valor, o valor integral da construção (1.040.000€) os equipamentos diversos no seu interior, desde mobiliário do albergue e do museu, bem como variados custos de estudos, projetos, licenças, certificados entre outros”.

“A obra foi suportado, na totalidade, pela Confraria de Santa Luzia, não tendo existido qualquer apoio externo. Este investimento representou um enorme esforço e dedicação da parte da confraria na concretização do sonho da Estância desenvolvido no plano de pormenor de 2012.

Os trabalhos foram iniciados no final de janeiro de 2017 e concluídos em final de janeiro de 2018, tendo sido cumprido o prazo estipulado”.

Outras obras relevantes 

“No ano passado foram realizadas inúmeras obras de manutenção e recuperação de todo o templo de Santa Luzia e do seu espaço envolvente. Todas as obras realizadas foram feitas ao abrigo dos fundos comunitários Portugal 2020 com uma candidatura elaborada no inicio de 2016 no valor total de aproximadamente 500.000€. Destacamos as obras de recuperação e manutenção do exterior do templo Monumento de Santa Luzia, que contemplou a estabilização das rosáceas do templo, a limpeza geral do paramento em granito, a limpeza e recuperação das coberturas em telha, com a substituição de pare destas e de todos os sistemas de impermeabilização e águas pluviais e a substituição de caixilharias em madeira existentes no alçado posterior do templo. Realizamos, ainda, as obras de recuperação do interior do templo, que contemplaram a substituição do mobiliário interior, a criação de novos corta vento interiores nas portas, recuperação e melhoramento da iluminação interior e implementação de um sistema de contagem de pessoas que nos visitam. Tivemos, também, as obras de recuperação e conservação dos muros e envolventes ao templo, colocação de novas sinaléticas exteriores e informações diversas, restruturação do site da internet, adaptando o existente às novas tecnologias, e a criação de uma aplicação para smartphones, onde podemos conhecer de forma integral a estância de Santa Luzia e a sua maravilhosa história e espólio. De salientar que nestes trabalhos realizados existiu um apoio importante da Câmara municipal e Viana do Castelo.”

A missão da confraria

“A principal missão é o embelezamento, manutenção e melhoramento da estância de Santa Luzia, promovendo o culto e devoção ao sagrado coração de Jesus e a Santa Luzia.

Em 1882, o Capitão de Cavalaria Luís de Andrade e Sousa, sofrendo de problemas oftalmológicos, começou a frequentar a capela de Santa Luzia. Por devoção, decidiu melhorar as condições do culto no cimo do monte. Para tal fundou a Confraria de Santa Luzia em 1884, da qual faziam parte ilustres cidadãos da sociedade vianense da época.

Hoje em dia, a Confraria desenvolve, no seu essencial, trabalhos de manutenção e melhoramento da Estância de Santa Luzia, proporcionando aos seus visitantes as melhores condições para disfrutarem de uma visita agradável e única. Desenvolve ainda o culto ao Sagrado Coração de Jesus e a Santa Luzia, o objectivo principal do templo-monumento. A gestão diária de um espaço tão importante da cidade de Viana do Castelo, exige muito dos 19 funcionários que esta confraria possui, executado estes todos os trabalhos de limpeza e manutenção do espaço, trabalhos de venda de merchandising e oferta ao nível da restauração e bebidas e mais recentemente a criação de um espaço dedicado ao peregrino, que marcará a diferença ao nível da oferta neste tipo de espaços”.

A sua história

“Após constituição da Confraria, um dos principais objectivos foi a melhoria dos acessos à capela. Nesse sentido, a 17 de Agosto de 1890 foi inaugurada a estrada de Santa Luzia. Para ajudar na angariação de fundos, foi fundada em 1893 a Comissão de Melhoramentos do Monte de Santa Luzia. Em 1894, com o mesmo intuito, o padre Joaquim Dias Silvares organizou uma peregrinação à capela de Santa Luzia em honra ao Sagrado Coração. Estavam então reunidas condições para se avançar com um novo templo. Nesse sentido, o arquiteto Miguel Ventura Terra apresentou o projeto do atual edifício, pensando não só na devoção a Santa Luzia mas também ao Sagrado Coração de Jesus. As obras decorreram de 1904 a 1910, tendo sido retomadas de 1926 a 1954 sob a direção de Miguel Nogueira e mais tarde do mestre canteiro Emídio Lima. Na primeira metade do século XX destaca-se ainda o ano de 1918, com o voto de se subir anualmente o Monte de Santa Luzia em peregrinação em honra ao Sagrado Coração de Jesus.

Atualmente, no primeiro domingo de junho, é celebrada a peregrinação ao sagrado coração de Jesus que este ano assinala os 100 anos da sua existência. No dia 13 de dezembro é celebrado o dia de Santa Luzia e no fim de semana seguinte são celebradas as festividades em honra de Santa Luzia.” // 

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta