Empresários do Alto Minho querem comboios Alfa e Intercidades a ligarem Vigo a Faro

A Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL) congratulou-se com a  à consignação da empreitada de eletrificação daquele troço da linha férrea entre Valença e Viana do Castelo, numa cerimónia em Valença com a presença através do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e do vice-presidente da Insfraestrturas de Portugal (IP), Carlos Fernandes.

A CEVAL  relembra que a Linha esteve para ser suspensa em 2005 e 2011, e que face ao apelo e esforço de Alto Minho e Galiza, foi decidida a sua continuidade, revelando-se assim a verdadeira e histórica cooperação transfronteiriça. Números anunciados pela CP em julho de 2017, que indicam que o serviço ‘Celta’ mais do que triplicou o número de passageiros nos últimos 4 anos.

Para a CEVAL este é um momento singular, já que a par da Eliminação do Pórtico de Neiva da A28 e da Conclusão da A28 até Valença, a Eletrificação da Linha do Minho foi  uma das suas causas.

“Esperamos assim que esta seja a ‘primeira pedra’ para o incremento da eficiência e competitividade na circulação ferroviária de pessoas e mercadorias no Alto Minho, possibilitando não só a circulação de comboios rápidos no troço Nine/Viana do Castelo/Valença, mas viabilizando também a criação de um verdadeiro Corredor Ferroviário de comboios rápidos (Alfa/Intercidades) que ligue Vigo a Faro e possibilite a posteriormente a ligação Galiza/Andaluzia com a consequente interligação ao TGV Espanhol AVE (Alta Velocidad Española)” – refere a confederação empresarial.

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta