Especial Vale Mais_Aniversário :: SEIS ANOS A DESCOBRIR O ALTO MINHO

Já há meia dúzia de anos que andamos a divulgar o Alto Minho. Numa afirmação independente pelo que de melhor tem a região onde nos situámos, sem subterfúgios, mas observando a verdade e objetividade, com a marca própria que nos diferencia, afirma e credibiliza.  Várias personalidades do Alto Minho, reconhecidas nas várias áreas da cultura e do património, da arte e do espetáculo, do desporto e da investigação, disponibilizaram-se para o seu testemunho sobre a (revista) VALE MAIS.

 Aqui fica.

AGOSTINHO LIMA Diretor da Vale Mais

AGOSTINHO LIMA
Diretor da Vale Mais

Em 2011, foi lançada a primeira edição de revista Vale Mais. Seis anos passaram-se, muito depressa, talvez porque as dificuldades encontradas obrigaram a um alto nível de concentração e a uma permanente procura de soluções. Parece ter sido ontem a conversa com o meu amigo José Emílio Moreira, então presidente da Câmara Municipal de Monção, em que comentei o projeto. Sendo eu conhecedor do seu gosto pela lETRAS, disse-lhe que gostava de contar com ele. Respondeu logo afirmativamente, incentivando-me, dizendo que eu era capaz de fazer e bem, acrescentando que me dava todo o seu apoio.

Recordo, também, uma das primeiras vezes que troquei impressões com o comendador Rui Nabeiro, proprietário da Delta Cafés. Mostrei-lhe os primeiros exemplares, após uma breve explicação sobre o que tinha planificado e os objetivos que esperava alcançar. Entusiasmado, disse-me que esse era o caminho a seguir, que contasse com o seu apoio. Até hoje é nosso anunciante, de forma ininterrupta.

É um desafio permanente garantir a sustentabilidade de um projeto quando há que remar contra a maré, como é o caso da comunicação social, sobretudo, desde há uns anos a esta parte. Manter uma informação rigorosa, próxima dos cidadãos, objetiva e isenta de pressões políticas e económicas, este é o caminho que foi traçado e que, com muita determinação, está a ser perseguido. 

Durante estes anos cobrimos lacunas, em termos de media, existentes no Alto Minho, dando voz à cultura, aos músicos, aos artistas, à gastronomia. Neste caso, o exemplo é a parceria com o chef ChakalL iniciada nos Arcos de Valdevez, para promover a carne cachena e, há poucos dias, repetiDA, em Viana do Castelo, para divulgamos a gastronomia e a cultura desta cidade. Temos o compromisso do chef Chakal de continuar com A Vale Mais, nessa promoção do Alto Minho, nos restantes municípios.

Quero, ainda, dar os parabéns à minha equipa que, desde o primeiro momento, acreditaram que ESTE PROJETO era possível. E, Inteligentemente, souberam interpretar e desenvolver o caminho que tínhamos traçado. Sempre com muita paixão, porque quando se gosta daquilo que se faz, estamos preparados para ultrapassar as dificuldades que vão surgindo. 

Quero, ainda, deixar um ‘muito obrigado’ aos colaboradores que temos espalhados por todo o Alto Minho. Também eles contribuíram, de forma determinante, para o desenvolvimento desta nossa revista… porque é nossa, é de todos nós e, com ela, todos valemos mais. 

JOANA MOSCOSO Investigadora no I3S

JOANA MOSCOSO
Investigadora no I3S 

A primeira vez que li a revista Vale Mais foi num dia de sol, quando passeava com o meu pai pelas ruas de Valença. Tinha o Professor António Nóvoa, reitor da universidade de Lisboa, na capa e foi um prazer ler a sua entrevista. Lembro-me de ter ficado impressionada com a qualidade da revista, chegando mesmo a enviar um e-mail para a equipa de produção, expressando o meu agrado.

Desde então cruzei-me várias vezes com a Vale Mais, acompanhando a sua evolução e transformação ao longo do tempo. Os primeiros anos de um projeto são, talvez, os mais difíceis.

Há que definir a missão, marcar o ritmo, consolidar e desenvolver as linhas de ação principais, e garantir a SUA sustentabilidade. Por isso, fico muito contente em saber que este ano se celebra o 6.º aniversário da Vale Mais.

Quando hoje viro as páginas da revista, sinto a força e o carácter do Minho.

CARLOS EDUARDO VIANA Presidente da Associação cineclubista AO NORTE

CARLOS EDUARDO VIANA
Presidente da Associação cineclubista AO NORTE

Vivemos uma época conturbada, mergulhados num excesso de informação continuamente renovada na Internet, em que, por vezes, é difícil distinguir a informação isenta, das notícias fabricadas e parciais. Tempos em que os valores democráticos são constantemente postos à prova e em que os jornalistas, sobre pressão, veem a sua autonomia e independência moldadas pelo poder económico e político, e a sua autonomia e independência constantemente ameaçadas pela precariedade da profissão. 

A própria imprensa regional não está imune a este estado de coisas e todos conhecemos órgãos de comunicação que, muitas vezes, por uma questão de sobrevivência, se subordinam a lógicas que deixam a ética à porta das redações e em que deontologia e jornalismo não convivem.

Cada vez precisamos mais de uma imprensa próxima dos cidadãos, com uma informação objetiva e rigorosa ao serviço do desenvolvimento regional e dos valores democráticos, e com mecanismos de defesa que a isente de pressões políticas e económicas.

A revista VALE MAIS, pelos objetivos que persegue, pela abrangência regional que ocupa e pelo trabalho já desenvolvido, tem um papel relevante no Alto Minho no contributo para a existência de comunidades informadas, socialmente atentas e atuantes.

JOÃO CARLOS COSTA Treinador adjunto da Seleção Nacional de Futebol

JOÃO CARLOS COSTA
Treinador adjunto da Seleção Nacional de Futebol

A Vale Mais é hoje um projecto consolidado no respeito pelas características da região e na divulgação das iniciativas dos minhotos; não apenas na região mas pelo mundo fora.

Estão de parabéns os responsáveis do projeto, os seus editores e autores, mas sobretudo a população, os leitores que souberam de forma inteligente abraçar esta ideia, sendo parte dela.

Num tempo em que a imprensa escrita sofre diariamente o escrutínio das vendas e tiragens, a sustentabilidade da revista só é, e será possível, com o engenho e astúcia de uma equipa jovem, mas competente, como a vossa.

JOSÉ PUSKAS Artista / Pintor

JOSÉ PUSKAS
Artista / Pintor

Quero, em primeiro lugar, felicitar  a Direção e a Redação da VALE MAIS uma revista extraordinária, que veio completar uma lacuna que havia no Alto Minho, nomeadamente em Monção, onde nasci e resido.

Tem feito um trabalho extraordinário, com as mais diversas abordagens, na divulgação de artistas e pessoas que, de certo modo, se têm distinguido no âmbito cultural e musical, também no gastronómico… fazia falta uma revista que é observada e vista em todo o Alto Minho, desde Melgaço a Viana do Castelo, e que tem tido, ao longo destes anos, uma interpretação muito correta em diversas vertentes  – não só no cultural, mas também  na restauração, imobiliário, etc.. – com um trabalho deveras importante…

São seis anos  para bater palmas a uma revista que tem pernas para continuar cada vez melhor. Felizmente, não há só notícias más e a Vale Mais valoriza mais as boas. Isso também é muito importante.

JOÃO CARVALHO Diretor do Festival de Paredes de Coura

JOÃO CARVALHO
Diretor do Festival de Paredes de Coura

É tão difícil, em meios pequenos, ter uma revista como a VALE MAIS, pois o mercado publicitário é cada vez menor.

A revista tem bons conteúdos, acompanha a atualidade da região, tem um grafismo maravilhoso e, quando as coisas são difíceis de pagar… imagino as dificuldades que enfrenta toda a Imprensa regional; eu próprio tenho rádios aqui no distrito e sei muito bem das dificuldades… e, portanto, a revista afirmar-se, continuar nas bancas, sem perder qualidade, seja de grafismo ou de conteúdo, é realmente uma coisa maravilhosa.

Tiro o chapéu a quem está à frente da VALE MAIS porque realmente, sei, não é fácil. Ainda por cima, hoje em dia, em que tudo está virado para a internet e a informação online, é de louvar e um orgulho ter uma revista como a VALE MAIS no distrito.

NUNO POUSADA Diretor das Portas do Lindoso do PNPG

NUNO POUSADA
Diretor das Portas do Lindoso do PNPG

Caros jornalistas, colaboradores e leitores da revista VALE MAIS:

Quero parabenizar a todos por ter tornado a revista uma referência na leitura de tantos que vivem e respiram o Alto Minho. São os meus votos pessoais que estes seis anos de existência se perpetuem por muitos vindouros com a mesma excelência a que nos tem habituado. 

Os melhores cumprimentos e nunca se esqueçam: uma palavra VALE MAIS

PAULO TORRES BENTO Professor e Historiador

PAULO TORRES BENTO
Professor e Historiador

A revista “Vale Mais”, beneficiando de um atrativo grafismo e de uma distribuição muito alargada — que inclui os estabelecimentos escolares —, logrou uma crescente visibilidade no Alto Minho.

Para tal, também contribuem os seus colunistas regulares, na generalidade de boa valia, e algumas ocasionais reportagens e estudos versando temas de ordem cultural e histórica.

Valeria ainda mais se alargasse o seu corpo redatorial próprio com jovens jornalistas oriundos da região, permitindo-lhe afastar-se de um registo porventura dependente em demasia dos prolixos agentes de comunicação dos municípios e associações empresariais, que lhe imprimem um ar institucional.

CONDE DE CALHEIROS Presidente da TURIHAB - Associação de Turismo de Habitação e diretor do Festival dos Jardins de Ponte de Lima

CONDE DE CALHEIROS
Presidente da TURIHAB – Associação de Turismo de Habitação e diretor do Festival dos Jardins de Ponte de Lima

Pessoalmente, quero felicitar a revista VALE MAIS pelo seu aniversário, sobretudo pelo contributo duma publicação com enorme qualidade, com temas muito bem selecionados e que relevam o território em que está inserido.

Uma boa equipa de grande profissionalismo e que dá a conhecer o que de melhor se faz no Alto Minho.

NUNO SOARES Diretor da Casa das Artes de Arcos de Valdevez

NUNO SOARES
Diretor da Casa das Artes de Arcos de Valdevez

Num distrito onde não imperam os projetos jornalísticos de assumida criatividade, ousadia e atitude, apesar de um passado histórico da região, nesta área, verdadeiramente referencial, a lufada de ar fresco protagonizada pela revista Vale Mais foi, e é, um motor de atenção e de esperança para uma nova geração de comunicadores e de consumidores que esperam ainda, e com toda a justiça, que a Imprensa Local assuma o seu papel diferenciador e de intervenção na Vida e na Sociedade da nossa região.

Por outro lado, e como “ente cultural”, reconheço igualmente o papel que a VM tem tido como difusor das dinâmicas culturais do nosso Alto-Minho e da sua forte identidade, elementos fundamentais para a potenciação de um território que tantas vezes é subtraído nas “aritméticas nacionais”, e que, afinal, é berço e motor histórico da formação de Portugal e da construção, ainda hoje, deste fantástico país onde vivemos.

Parabéns e bem hajam Vale Mais!

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta