FESTAS DA SENHORA DA LAPA ANIMAM ARC0S ATÉ DOMINGO

0 139

Arcos de Valdevez  encontra-se a viver especiais momentos de convívio e fraternidade. Os emigrantes juntam-se às suas famílias cá residentes e os visitantes unem-se à festa maior do concelho, invadindo as ruas engalanadas a rigor.

Durante oito dias, a vila conhece uma intensa semana de tradições, usos e costumes da região, como a gastronomia, o folclore, as concertinas, os cantares ao desafio, as tasquinhas, momentos musicais variados, entre  outras atividades, tratando-se de festas tipicamente Minhotas, onde, apesar de toda a animação, o religioso ocupa o espaço importante das festividades.

No domingo e na segunda-feira decorreram os festivais folclóricos “Terras de Valdevez” com as participações do Rancho Folclórico de Vilarinho das Quartas, Rancho Folclórico de S. Pedro do Vale, Rancho Folclórico da Associação Rec. Cult. de Paçô,  Grupo de Danças e Cantares de S. Jorge, do Rancho Folclórico “Estrela do Norte de Gondoriz”, do Rancho Folclórico de Santa Marinha de Prozelo e do Rancho Folclórico de Eiras, no Anfiteatro do Trasladário.

Na oportunidade, o presidente da Câmara Municipal, João Esteves, aproveitou para dar as boas-vindas a todos os arcuenses a viverem no estrangeiro, bem como deixar uma palavra a todos os residentes: “Somos de “Arcos de Valdevez onde Portugal se fez”. Temos orgulho na nossa História e Cultura. Somos de uma Terra bonita, acolhedora, rica em tradições, com modernidade e vivacidade. Juntos temos contribuído para o progresso do nosso concelho. Temos novos desafios. Com esperança, confiança e o envolvimento dos arcuenses, residentes e emigrantes, queremos legar às gerações vindouras um concelho cada vez mais solidário, mais atrativo e com mais qualidade de vida para todos. Faço votos para que todos celebrem a vida na companhia dos seus familiares e amigos, usufruindo dos encantos de Arcos de Valdevez. “, referiu.

Os dias 11, 12 e 13, sexta, sábado e domingo, são os dias fortes das festividades e atraem milhares de arcuenses e forasteiros às ruas da vila, que aproveitam a ocasião para, noite fora, cantarem e dançarem nas rodas de tocadores, ao som das concertinas, bombos e outros instrumentos tradicionais.

No sábado, as ruas enchem para assistir, durante a tarde, ao cortejo etnográfico, momento em que as tradições e costumes de Arcos de Valdevez são trazidos à memória pelas Freguesias e Associações do concelho, e à noite para com as rusgas desfilar e cantar à desgarrada.

O domingo, dia 13, é dedicado à Eucaristia e à solene Procissão, a qual conta todos os anos com o envolvimento e colaboração das freguesias do concelho através dos seus santos mais representativos. Ao início da noite, ocorrerá a grande Festa/Serenata do Rio, este ano dedicada à “Diáspora Arcuense”, uma forma de homenagear a comunidade emigrante que teve de deixar a sua terra natal em busca de uma vida melhor.

A encerrar a festa, um dos momentos únicos proporcionados pelo ecoar dos espetáculos de explosões de luz e cor do gigantesco fogo-de-artifício.

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta