FILMES DO HOMEM (que vai ao Brasil) anuncia vencedores do prémio Jean Loup Passek

0 130
  Impreza / The Celebration, da realizadora Alemã Alexandra Wesolowski, The Season of Warm Breezes, da autoria do Iraniano Hosseini Rigi e Bostofrio, où le ciel rejoint la terre, do realizador Português Paulo Carneiro, vencem a edição 2018 do prémio Jean Loup Passek. O anúncio e entrega de prémios aconteceu este domingo, na Casa da Cultura de Melgaço. O Júri desta edição, constituído por Jasna Krajinovic, Luciana Fina, Luís Miguel Oliveira, Margarita Ledo Andión e Ricardo Vieira Lisboa, analisou os 27 filmes a concurso ao prémio Jean Loup Passek, em três categorias: melhor longa-metragem internacional, com um prémio no valor de 3,000 euros, melhor curta ou média-metragem internacional, agraciada com 1,500 euros, e melhor filme português, distinguido com o prémio no valor de 1,000 euros.
Na categoria de melhor longa-metragem internacional o filme Impreza / The Celebration convenceu o júri desta edição pela forma como “joga inteligentemente sob o signo das aparências tanto a nível formal como no tratamento das suas personagens”. O documentário leva o espectador desde a Alemanha, onde vive a realizadora, até à Polónia para visitar familiares e assistir às bodas de ouro dos tios. Mas, tal como sublinha o júri, “o que começa como um filme de família feito através de um olhar de proximidade revela-se afinal uma potente reflexão do espectro que assombra, neste momento, toda a Europa”.
 Já na categoria de melhor curta ou média metragem internacional, o júri distinguiu o documentário de origem iraniana The Season of Warm Breezes, entre os 14 filmes em competição nesta categoria. O realizador Hosseini Rigi apresenta neste filme a luta de uma professora dos Baluchi contra o analfabetismo na sua aldeia. O júri destaca “simultaneamente a intensidade da história pessoal de uma mulher no Irão e a complexidade de uma paisagem cultural e territorial”.
 Bostofrio, où le ciel rejoint la terre, realizado por Paulo Carneiro foi considerado o melhor filme português. O júri decidiu atribuir o prémio nesta categoria a “uma primeira obra de um jovem realizador que reflecte alguns dos grandes temas do festival”, nomeadamente a identidade e a memória. O documentário acompanha a busca do realizador para descobrir a história dos seus avós e “adopta o inquérito como figura de estilo onde o mais importante não são as respostas, antes a criação de um retrato fragmentário de uma aldeia e dos seus fantasmas”, como destaca o júri.
 
Considerando a diversidade da selecção do festival e dos olhares dos jurados, os elementos do júri da edição 2018 do prémio Jean Loup Passek distinguiu ainda, com uma menção especial, o filme O Termómetro de Galileu, da realizadora portuguesa Teresa Villaverde. Filmado em Itália com a família do cineasta Tonino de Bernardi, o Termómetro de Galileu é um “filme-palimpsesto de grande liberdade formal feito de pequenas e grandes coisas possíveis no cinema e na vida”, de acordo com o júri.
O Festival Internacional de Documentário de Melgaço FILMES DO HOMEM, está a decorrer desde segunda-feira, dia 30 de Julho, com um conjunto de atividades. Além da apresentação dos filmes a concurso ao prémio Jean Loup Passek, realizaou-se ainda a residência cinematográfica e fotográfica Plano Frontal, o curso de verão Fora de Campo, sete exposições de fotografia com visitas guiadas pelos autores ou curadores, três workshops para jovens e para adultos.

A edição de 2018 do festival termina este domingo com a projeção do filme Todos os Sonhos do Mundo, apresentado pela respetiva realizadora Laurence Ferreira Barbosa, numa sessão ao ar-livre, na Torre de Melgaço.

O festival internacional de documentário de Melgaço – FILMES DO HOMEM, é organizado desde 2014 pela Câmara Municipal de Melgaço em parceria com a AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, e pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, refletir sobre identidade, memória e fronteira e contribuir para um arquivo audiovisual sobre a região.

Entretanto, Carlos Eduardo Viana, diretor do festival, confirmou no domingo o que na sexta-feira anterior tinha adiantado, sob reserva, em PRIMEIRA MÃO, à VALE MAIS: os Filmes do Homem vão ter uma edição no Brasil, numa parceria com a Universidade de São Paulo.

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta