‘Grande Rota do Cervo’ constitui 90 km’s de Trilhos

0 116

A criação de uma Rede Municipal de Trilhos Pedestres foi a proposta mais votada na III edição do Orçamento Participativo (OP) de Vila Nova de Cerveira. O projeto visa a sinalização de nove percursos circulares das freguesias mais do interior do concelho que, interligados fisicamente e numa futura aplicação móvel, constituem a ‘Grande Rota do Cervo’ com cerca de 90 km’s. 

Os Trilhos que constituem esta Rota são: Trilho do Cervo (13 km’s); Trilho Alto da Pena (10,6 km’s); Trilho da Carranca (5,1 km’s); Trilho Alto do Picoto (9,3 km’s); Trilho do Vale das Donas (12,7 km’s); Trilho dos Engenhos e dos Foliões (6,2 km’s); Trilho do Couço do Monte Furado (6,5 km’s); Trilho do Ribeiro de Mogos (13,8 km’s); Trilho dos Moinhos de Candemil (15,2 km’s).

Esta ‘Grande Rota a do Cervo’ abrange nove freguesias, maioritariamente mais do interior do concelho, a saber: União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe, Loivo, Gondarém, Cornes, Sopo, Mentrestido, Covas, Sapardos, União de Freguesias de Candemil e Gondar.

A definição destes trilhos baseou-se nos pontos em comum: a exclusão de vias alcatroadas, salvo exceções muito curtas, a manutenção da coerência do nível de dificuldade do itinerário (fácil/moderado), o privilégio na qualidade das paisagens e do ambiente e a valorização do património.

O projeto, orçado em 90 mil euros, está integrado no Orçamento municipal para 2018, com execução prevista para o corrente ano.

Rota do Cervo

Serão instalado um conjunto de equipamentos de apoio ao pedestrianista permitindo, por um lado, uma maior segurança e orientação, e por outro lado, constituindo-se como uma mais-valia para o turismo cultural, ambiental, histórico e religioso; mas, sobretudo, para o turismo de natureza, assumindo uma importante função de promoção e de animação rural.

Haverá um aproveitamento dos diversos caminhos existentes – rurais, agrícolas, florestais e pastoris – procurando a menor intervenção possível ao nível da construção de infraestruturas de forma a não causar impactos.

Para além de ser devidamente marcada e sinalizada para ser usufruída com ou sem guia, esta Rede Municipal de Percursos Pedestres vai estar disponibilizada numa aplicação para smartphones e equipamentos informáticos, que permitirá ao utilizador recolher informação sobre os traçados, percorrer de forma orientada, partilhar nas redes sociais, ter acesso a informação histórica sobre os vários pontos de interesse e contactos úteis.

Esta foi a proposta vencedora (54,14%) do Orçamento Participativo que contou com um total de 1570 registos, correspondente a cerca de 17% da população do concelho (Censos 2011).

Vila Nova de Cerveira pretende, desta forma, adequar as políticas públicas municipais às necessidades e expectativas da comunidade, favorecendo a participação como instrumento de modernização da administração.

Para o presidente da Câmara, Fernando Nogueira, “Vila Nova de Cerveira é arte e beleza natural”. “Neste sentido, as potencialidades do Turismo de Natureza são muitas e temos que as fomentar. Em todas as freguesias do concelho há propensão para a descoberta cultural, histórica, religiosa e ambiental, e os trilhos pedestres existentes tornam-se cada vez mais atrativos para usufruir de um vasto conjunto de experiências, entre o rio e a montanha.

Este projeto torna-se importante pela oferta de um maior conhecimento do nosso território, complementado pela diversidade e qualidade dos recursos naturais e endógenos, mas fundamentalmente pela valorização dos seus utilizadores, pessoas por norma ambientalmente amigas que, com redobrada atenção, contribuirão de forma direta ou indireta para a preservação e vigilância da natureza. Outra mais-valia, é conseguirmos que os nossos montes e trilhos pedestres ganhem vida, e que esse movimento turístico também ajude na reativação da atividade económica das freguesias mais de interior”.

IMG_8566

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta