Ligação de comboio Porto – A Coruña em menos de três horas poderá acontecer já em 2019

O Grupo Arriva (que pertence ao operador ferroviário estatal alemão DB) anunciou que vai iniciar os contactos com a autoridade ferroviária portuguesa para se licenciar como operador e fazer avançar do lado português o projeto da nova linha internacional Corunha – Porto, já a partir do verão de 2019.  A nova ligação ferroviária teria uma extensão de 342 quilómetros e  paragens, ao longo do percurso, em Santiago de Compostela, Vílagarcia de Arousa, Pontevedra, Vigo, Valença e Nine. A viagem, “sem algumas condicionantes atualmente existentes”, teria uma duração prevista de duas horas e 46 minutos.

Em declarações à agência Lusa no final de uma  reunião com o Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, o CEO da Arriva Espanha, Juan Ignacio García de Miguel, afirmou que, face aos últimos desenvolvimentos, o grupo está “otimista” sobre o avanço do projeto, que do lado espanhol já mereceu parecer positivo, depois de em janeiro a Comissão Europeia ter liberalizado o transporte ferroviário internacional de passageiros.

“A nosso pedido, o regulador espanhol anunciou que a Linha Corunha – Porto – Campanhã é uma linha internacional. Decisão que não registou qualquer reclamação por parte das entidades interessadas ou do estado espanhol, nem de nenhum outro agente português”, afirmou.

De acordo com o responsável, o regulador espanhol propôs agora uma metodologia de aplicação que visa analisar qual “o impacto da ‘cabotagem’” na atual rede ferroviária gerida pela Renfe, proposta esta que, segundo o Juan Ignacio García de Miguel, apresenta boas perspetivas de desbloquear o projeto.

Já o secretário-geral do Eixo Atlântico, Xoan Mao, congratulou-se com estes últimos desenvolvimentos, sublinhando que a exploração desta nova linha ferroviária entre a Corunha, em Espanha, e o Porto vem confirmar uma ideia há muito defendida pelos 38 municípios portugueses e galegos que compõem aquela associação transfronteiriça.

No dia 08 de maio, o grupo Arriva, através da companhia Arriva Spain Rail, solicitou à Comissão Nacional de Mercados e Competência (CNMC) espanhola autorização para operar numa nova linha entre a Corunha e o Porto.

Atualmente, com quatro partidas diárias (duas em cada sentido), o comboio Celta, que é operado pela CP em conjunto com a Renfe, assegura uma ligação rápida entre Vigo e Porto, com paragens em Valença, Viana do Castelo e Nine.

Entretanto, conforme referia, no início deste mês, o Público, com paragens em Nine, Valença e, eventualmente, em Viana do Castelo, o comboio da Arriva também irá competir com a CP na linha do Minho. E sobre isso, a AMT (Autoridade da Mobilidade e dos Transportes) teria uma palavra a dizer.

Contactada, na altura, pelo mesmo periódico, esta entidade diz que “não foi sujeito à apreciação da AMT qualquer projeto de novo serviço ferroviário de passageiros internacional” .e que qualquer posição das entidades públicas competentes deve incidir sobre os termos concretos de qualquer requerimento, ao abrigo da lei, “e não sobre eventuais intenções”.

Entretanto, como notaram responsáveis da Arriva, citados no JN, o projeto tem “debilidades”, como a existência na Galiza de dois troços por eletrificar. Do lado português, a linha do Minho estará eletrificada até Viana do Castelo no final deste ano, prevê-se. Já de Viana do Castelo até à fronteira de Valença, isso deverá ocorrer em abril 2020.

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta