Melgaço recebe ‘várias artes’ de artistas nortenhos

0 1010
 

São cerca de 70 obras de uma dúzia de artistas oriundos de diversas paragens nortenhas – nomeadamente Porto, V. N. Gaia, Vizela, Arcos de Valdevez, Braga e Entrimo (Galiza) – cuja obra está patente, até ao próximo dia 29, na Casa da Cultura de Melgaço.

A iniciativa foi promovida pelo artista plástico e nosso colaborador Manuel Cunha (Pólen), residente no concelho mais a norte de Portugal e que congregou vontades para, como nos disse, ao contrário do habitual, trazer artistas de meios de maior dimensão, como o Porto, até à periferia. No caso, em Melgaço, mas o objetivo é levá-la também até outras localidades periféricas.

A inauguração da iniciativa ocorreu ontem ao final do dia. As artes estão representadas através da pintura, fotografia, escultura e joalharia e podem ser vistas de segunda a sexta, entre as 9h e as 13h e as 14 e as 18h, e aos sábados, nos períodos 9h30/12h30 e 14h/18h.

No dia da abertura, houve, ainda, ocasião para uma performance, com quatro artistas plásticos (Pólen, Elisa Queirós, Mutes e Martinho Lima) a pintarem a e a banda portuense de electro rock Zurich Dada a atuar, acompanhada da projeção de vídeos “dadaístas”. Aliás, o nome desta é uma referência à admiração que os seus elementos têm pelo movimento artístico vanguardista iniciado na altura da Primeira Grande Guerra, em Zurique. Ainda a propósito, Pólen referiu-nos ser ponto assente que “a companhia musical será a calçadeira para o ato artístico” e do prazer que tem em apresentar-se na companhia de outras artistas.

Já na saudação de abertura, Margarida Codesso, técnica responsável pela Casa da Cultura, e o vereador José Adriano Lima, em representação da Câmara Municipal, se tinham congratulado e mostrado satisfação pelo acolhimento desta iniciativa  denominada CircoL’artes. O autarca enfatizou a importância de artistas de outros meios se apresentarem em Melgaço e da promoção a nível cultural que a iniciativa representa, designadamente, junto das camadas mais jovens. Nesse sentido, foi deixada uma palavra especial pela mobilização obtida por Manuel Cunha.

Entre os presentes, uma referência, ainda, para o Sérgio Castro, músico consagrado e produtor musical a viver em Vigo, conhecido em Portugal como fundador das bandas portuenses Arte & Ofício e Trabalhadores do Comércio.

 

 

Sessão de abertura da exposição, vendo-se Pólen e outros artistas, além de responsáveis da Casa da Cultura e da Câmara Municipal

Sessão de abertura da exposição, vendo-se Pólen e outros artistas, além de responsáveis da Casa da Cultura e da Câmara Municipal

 

 

No final da perfomance, o público foi convidado a subir ao palco para apreciar o trabalho produzido

No final da perfomance, o público foi convidado a subir ao palco para apreciar o trabalho produzido

 

Sérgio Castro veio assistir à perfomance

Sérgio Castro veio assistir à perfomance

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta