‘O SARAMPO . . . NOS DIAS QUE CORREM’

0 53

Muito se tem falado sobre esta doença nos últimos tempos e, com este artigo, não se pretende tomar partido por nenhuma atitude pró ou contra vacinação/prevenção, mas, sim, falar um pouco sobre a doença em si e o seu papel na sociedade dos nossos dias. A conclusão sobre a atitude a tomar partirá de cada um, claro.

O sarampo é uma doença altamente contagiosa causada por um vírus, sendo mesmo das infeções virais mais contagiosas. Geralmente é propagada pelo contacto direto com secreções nasais ou da faringe e por via aérea.

O sarampo manifesta-se pelo aparecimento de pequenos pontos brancos na mucosa oral cerca de um ou dois dias antes de surgirem erupções cutâneas, que, inicialmente, aparecem no rosto. O período de incubação pode variar entre sete a vinte e um dias e o contágio dá-se quatro dias antes e quatro dias depois aparece o exantema, ou seja, as ditas erupções cutâneas. Alguns sinais podem alertar-nos para uma criança contagiada com sarampo, tais como a existência de um certo muco nasal, expectoração, uma respiração transmitindo a existência de catarro e ainda, por exemplo, os olhos pegados.

Estudos comprovam que esta doença é perigosa, visto ser viral e contagiosa.

Em tempos que queremos acreditar não se repetirem, uma outra doença, também perigosa e contagiosa, a lepra, era tratada com os doentes completamente isolados do mundo, nas chamadas gafarias. Com o sarampo, tal nunca foi necessário, pois as várias campanhas pro-vacinação e toda a política implementada pela Organização Mundial de Saúde permitiram abrandar a força deste contágio viral.

Na Europa, a OMS, em 2005, implementou o Programa de Eliminação do Sarampo, tendo como meta o ano de 2010. Esta meta foi alterada para 2015, pois a situação epidemiológica agravou-se, com surtos na maioria dos países europeus.

A partir da entrada na Comunidade Europeia, é fácil de ver e perceber que muitas mais pessoas viajam livremente de país para país, onde podem ser contaminadas, pois, apesar de o sarampo ser uma doença com possibilidade de eliminação (dada a sua transmissão exclusivamente inter-humana e a existência de uma vacina), mantém-se endémico em vários países asiáticos e africanos, destinos procurados hoje em dia em períodos de férias e, também, em termos de novos investimentos.

Esta doença é considerada perigosa, pois sendo uma das infeções virais mais contagiosas, visto a sua transmissão ser feita à distância, por via aérea, através de gotículas ou aerossóis, é impossível de evitar num mundo social. Entre o mundo das crianças: berçários, infantários, creches e Jardins de Infância e escolas, este tipo de vírus propaga-se facilmente como é fácil de deduzir.

Como em todos os temas que rodeiam as crianças e as atitudes que devem ser tomadas em prol das mesmas e do papel social de cada uma, em particular, espera-se sempre que o bom senso impere.

ARTIGOS SIMILARES

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta