TREX ALTO MINHO EM PONTE DE LIMA E VIANA DO CASTELO

PONTE DE LIMA VIANA DO CASTELO

Prosseguem no terreno as ações piloto de treino com recurso ao fogo controlado, no âmbito do ‘Alto Minho TrEx’. Ao longo desta terça-feira, os concelhos de Ponte de Lima e de Viana do Castelo foram alvo de queimas efetuadas por especialistas mundiais, em estreita colaboração com técnicos distritais, num total de 15ha.

Tendo em consideração a gestão de combustível em pontos estratégicos e a criação de parcelas com vista à melhoria da gestão cinegética e ao tratamento de zonas de interface urbano-florestal, o segundo dia do projeto ‘Alto Minho TrEx’ no terreno abrangeu as localidades de Carvoeiro, em Viana do Castelo, e Airão-Poiares, em Ponte de Lima.

Estas queimas são executadas por técnicos credenciados em fogo controlado, com apoio das equipas de supressão e respetivos meios, para além do envolvimento da comunidade local que, no caso concreto destes dois concelhos, contou com a participação de caçadores. No total, foram tratados 15 ha de parcelas previamente preparadas pelas equipas de prevenção municipais.

Estas ações estão previstas nos planos de fogo controlado desenvolvidos pelos gabinetes técnicos florestais dos municípios e inserem-se no “Plano Regional de Fogo Controlado do Alto Minho”. Tendo uma visão de escala de potenciais incêndios florestais que podem afetar a região num futuro próximo, a CIM Alto Minho, em estreita colaboração com os Municípios do Alto Minho, procedeu à elaboração de um plano de fogo controlado para o período entre 2017 e 2021. O documento deverá integrar, em conjunto com os planos municipais, uma candidatura para execução no âmbito do Programa Nacional de Fogo Controlado promovido pelo Governo, na vertente da Reforma Florestal. Neste momento, o plano encontra-se em fase de aprovação junto das 10 autarquias.

Para além do uso do fogo, os técnicos afetos ao ‘Alto Minho TrEx’, oriundos de Portugal, Espanha, Brasil, EUA e Canadá, estão a partilhar conhecimentos e experiências em conceitos como a ecologia do fogo, organização e gestão de incidentes (ICS/IMT) e gestão do fumo e seus impactos.

De sublinhar que a execução das queimas previstas no projeto está a ser realizada em contexto de capacitação e de investigação definido, ao abrigo do exposto no n.º 4 do Artigo 26.º da Lei nº 76/2017 de 17 de agosto.

ARTIGOS SIMILARES

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta