Cerveira e Tomiño “unidos” por aplicação móvel para turismo acessível

0
Cerveira e Tomiño “unidos” por aplicação móvel para turismo acessível

Os municípios de Vila Nova de Cerveira, e Tomiño, na Galiza, “reforçaram” hoje a “união” daquele território transfronteiriço com a apresentação pública da aplicação móvel “Turismo Acessível”, com os principais pontos turísticos dos dois concelhos.

“É mais um passo para reforçar a vontade de caminharmos hermanados, cada vez mais juntos, num trabalho que pretende potenciar um território comum e que deve ser acessível a todos”, afirmou o presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira.

O autarca português falava na apresentação pública daquela ferramenta, realizada no Fórum Cultural de Vila Nova de Cerveira acompanhado da congénere de Tomiño.

Sandra González afirmou que aquela ferramenta “é um primeiro passo para o reconhecimento mútuo” dos recurso do território transfronteiriço.

“É uma forma de colocar as pessoas a conhecerem-se e a debaterem questões conjuntas já existentes, olhando em frente para um mundo de oportunidades que se podem abrir ao território”, sublinhou a autarca galega.

O projeto de criação da aplicação tecnológica, associada ao conceito de acessibilidade para todos, venceu a edição 2018 do Orçamento Participativo Transfronteiriço Cerveira-Tomiño.

A aplicação móvel, “já disponível para Android e a aguardar aprovação para o sistema IOS”, foi concebida, em conjunto, pela Escola Superior Gallaecia (ESG), com sede em Vila Nova de Cerveira, a delegação distrital da Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal(ACAPO) e a associação galega “Persoas con Discapacidade Vontade”.

O objetivo é “disponibilizar uma aplicação para dispositivos móveis (‘app’) inclusiva, com o intuito de reforçar a acessibilidade e atrair visitantes com mobilidade condicionada para o território comum de Cerveira-Tomiño, através da criação de roteiros e percursos acessíveis, com indicação dos principais pontos artísticos, culturais e turísticos e da sua acessibilidade (com audiodescrição)”, especificou o município”.

Teresa Correia, da ESG, sublinhou a “funcionalidade interativa e bidirecional da aplicação, permitindo ao usuário sugerir alterações ou retificações nos percurso”.

A responsável explicou que, numa primeira fase, a aplicação “disponibiliza os monumentos, espaços ao ar livre, arte, arquitetura, museus e desporto, acompanhados por uma descrição, explicação da envolvência e acessibilidade existente, quer ao nível de estacionamento quer do percurso a efetuar”.

“É uma aplicação em constante atualização que irá, no futuro, ver acrescentada mais informação importante dos dois municípios. Para já está disponível em português e galego, mas no futuro poderá incluir a informação noutros idiomas”.

A implementação do projeto representou um investimento de 10 mil euros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here