Cerveira investe 6 milhões de euros em água e saneamento

0

O Município de Vila Nova de Cerveira viu aprovado o financiamento de cerca de 6ME do POSEUR para executar vários projetos que visam dotar o concelho de mais e melhores infraestruturas de abastecimento de água e saneamento.

Até 2021, a intervenção abrange todas as freguesias do concelho e incide em mais de 50km de condutas degradadas, contribuindo ainda para a regulação definitiva do indicador pH da água distribuída às populações que condiciona fortemente o índice da qualidade da água para consumo humano.

Uma das intervenções com grande impacto é a remodelação da conduta de abastecimento de água ao longo da Estrada Nacional 13, desde Vila Meã a Gondarém, e a instalação de equipamentos de monitorização e controlo nos sistemas de abastecimento de água. Com um investimento de 2.5ME, trata-se de uma necessidade premente devido à ocorrência de constantes ruturas que causam elevadas perdas de água, devido às infraestruturas deficitárias e antigas.

Há ainda os projetos de execução de ligação alta/baixa a reservatórios que garantem a total cobertura do concelho a médio/longo prazo, nomeadamente nas freguesias de Candemil, Cornes, Covas, Gondar, Mentrestido e Sapardos (cerca de 1.7ME); bem como assegurar o reforço de abastecimento de água e drenagem de águas residuais no Polo II da Zona Industrial e nos polígonos de iniciativa privada. De realçar ainda que, fruto de um investimento previsto pelas Águas do Norte e não contabilizado nestas candidaturas já aprovadas, a instalação de um grande reservatório de água em Mangoeiro resolverá o problema de abastecimento de água neste lugar como também na parte alta da freguesia de Gondarém, e se necessário poderá reforçar o abastecimento de água à freguesia de Sopo.

Este investimento, considerado pelo edil cerveirense como “estrutural” e “necessário” na rede de abastecimento de água do concelho de Vila Nova de Cerveira, vai ainda permitir debelar um dos incumprimentos recorrentes detetados pelo ERSAR ao nível do pH que, de acordo com a entidade sanitária, nunca representou qualquer risco na qualidade da água ou para a saúde pública. O objetivo é que, através da instalação de um reservatório em Candemil, as freguesias de Sapardos, Mentrestido, Gondar e Candemil e, se necessário, Cornes e Covas, possam consumir água através da adutora de Cossourado/Paredes de Coura (considerada no recente estudo do ERSAR como a melhor água do distrito).

Segundo o relatório anual da ERSAR sobre o “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humano”, referente ao ano de 2018, a distribuição de água para as habitações de Vila Nova de Cerveira é segura e de confiança (96,06%). A única recomendação prende-se com o indicador CR2 (onde encaixa o parâmetro pH) pois, se o concelho tivesse o controlo desse parâmetro, a percentagem de segurança subiria para os 99,04%, ficando na quarta posição entre os 10 concelhos do Alto Minho.

No que diz respeito ao saneamento básico, e em complemento às intervenções em curso nas freguesias de Cornes, Reboreda, Nogueira e Campos (mais de 1ME), a autarquia cerveirense vai também implementar um novo subsistema de drenagem de águas residuais na freguesia de Sopo, através de uma solução gravítica (cerca de 700 mil euros); e ainda avançar com a modernização de infraestruturas existentes e a ampliação do serviço de saneamento de águas residuais a populações ainda não servidas na área de influência do sistema de Vila Nova de Cerveira, designadamente de aglomerados populacionais da freguesia de Loivo (candidatura a aguardar decisão).

De realçar que estes projetos de execução foram submetidos ao POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos), totalizando um investimento de cerca de 6ME, no âmbito da criação da Parceria Pública Águas do Alto Minho que junta sete Municípios do Alto Minho à empresa pública Águas de Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here