Covid-19: Comércio de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca recebe viseiras para iniciar retoma

0

Cerca de 700 empresas situadas nos centros históricos de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca começaram hoje a receber viseiras de proteção facial para retomar a atividade em segurança e com “muita esperança” no futuro.

“A mensagem que queremos transmitir com a entrega das 2.000 viseiras é sobretudo de esperança. A pandemia de covid-19 teve um impacto muito significativo no tecido empresarial dos dois concelhos, mas temos de acreditar e temos de retomar a atividade, de forma segura. O país precisa, as pessoas precisam, as empresas precisam. É bom para o nosso bem-estar”, disse o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca (ACIAB), Francisco Peixoto Araújo.

O responsável, que falava à margem da ação iniciada hoje de manhã no centro histórico de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, com a entrega de viseiras de proteção facial a empresas de comércio tradicional, disse não dispor de números oficiais do impacto económico que o surto do novo coronavírus causou, mas garantiu ter deixado “um rasto muito significativo”, com “muitas empresas fechadas e mais de um mês de paragem completa”.

“Para dar um exemplo que pode espelhar bem o impacto da pandemia na região”, referiu “um restaurante no centro histórico de Arcos de Valdevez”, onde hoje foram entregues viseiras, que “empregava 15 pessoas, fechou durante um mês e meio e está agora a retomar a atividade, em regime de ‘take away’, com um terço de trabalhadores”.

“Há 10 pessoas em casa, sem trabalhar [naquele restaurante]”, acrescentou o responsável da ACIAB que representa 1.200 empresas.

Apesar das dificuldades, Francisco Peixoto Araújo sublinhou o esforço de muitas empresas “para dar a volta por cima”.

“Vejo e sinto as empresas a tentarem dar a volta, desde cafés, restaurantes, talhos. A terem uma atitude positiva, a tentarem reinventar-se, a trabalharem muito com as redes sociais. Tudo isso é importante para que a empresas estejam presentes na economia, atualmente”, disse.

Segundo Francisco Peixoto Araújo, a ação de hoje incluiu a entrega, em média, de três viseiras por empresa, sendo que a ACIAB poderá vir a adquirir mais material de proteção para distribuir às empresas.

“Caso seja necessário, dentro das nossas possibilidades, porque estas 2.000 viseiras representaram um esforço financeiro superior a cinco mil euros, iremos comprar mais para entregar. É importante que a economia começa a rolar, o mais depressa possível, dentro das medidas de precaução que todos temos consciência que são necessárias”, referiu.

Além da primeira medida de prevenção hoje realizada, a ACIAB criou um sítio na Internet, instalado no portal da associação, para dar a conhecer e promover os serviços das empresas dos dois concelhos.

O serviço já reúne 50 empresas, mas o seu objetivo é alargar este universo, sendo que a ACIAB vai ainda avançar “com a instalação de ‘outdoors’ com apelos aos consumidores para que comprem no comércio tradicional dos dois concelhos, ajudando a dinamizar o tecido empresarial e a manter os postos de trabalho”.

A entrega decorreu de manhã em Arcos de Valdevez, em 14 empresas, sendo que durante a tarde serão entregues a outras 14 de Ponte da Barca, com o apoio das autarquias dos dois concelhos do Alto Minho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here