Covid-19: Sessão ‘on-line” recria tardes dos anos 80 em discoteca de Viana do Castelo

0

O DJ de uma antiga discoteca Viana do Castelo vai recriar, na garagem de casa, uma sessão de domingo à tarde dos anos 80, tal como quando animava o espaço de diversão noturna, encerrado há vários anos.

“É uma forma de ocupar o tempo que temos de estar em casa pelas razões que todos sabemos. Eu próprio nem sei o que fazer. Não estava habituado a estar tanto tempo em casa, parado. Por um lado, é uma oportunidade de recordar as músicas que nos fazem lembrar momentos das gerações dos anos 80 e 90 e, por outro lado, de ajudar a passar o tempo”, explicou hoje José Gonçalves.

Os dias longos passados em confinamento no domicílio trouxeram à lembrança de Zezé Gonçalves, nome pelo qual é conhecido, “recordações de outros tempos” que, num ápice deram corpo à ideia de fazer “um ‘remember’ Viana Sol”, o nome da discoteca onde trabalhou entre 1989 e 1996, e que viria a fechar portas poucos anos depois.

O espaço de diversão noturna funcionava na cave de um hotel, também encerrado há vários anos, em pleno centro de Viana do Castelo, e que nas décadas de 80 e 90 era muito frequentado.

A sessão ‘on-line’ da matiné dos anos 80 está marcada para domingo, às 15:30, a partir da garagem da casa de Zezé Gonçalves, na freguesia de Darque, na margem esquerda do rio Lima.

“Tenho na garagem uma aparelhagem e o material necessário para fazer uma espécie de sessão de discoteca e para a transmitir em direto para o Facebook. Não é nada muito elaborado, nem com grande qualidade de imagem e som mas o suficiente para que as pessoas recordem o que era uma ‘matinée’ nos anos 80 e 90”, explicou.

Zezé Gonçalves ficou surpreendido com o impacto da iniciativa junto dos seus amigos naquela rede social.

“Nunca pensei que a ideia atingisse a dimensão que atingiu. Pensei que ia fazer para meia dúzia de amigos e para divertir a família num domingo à tarde e fiquei surpreendido com o número de pessoas que mostrou interesse em partilhar esse momento. Num primeiro momento, através da minha página no Facebook, perguntei aos meus amigos o que achavam da ideia. Depois um amigo fez um cartaz da sessão que também publiquei, e quando me dei conta tinha mais de 700 pessoas a dizerem que gostavam de assistir”, explicou.

Aos 47 anos, e depois de ter enveredado por outras área profissional, a vendedor de produtos alimentares, Zezé Gonçalves continua a fazer uma “perninha” na animação de festas e eventos e espera no domingo “proporcionar bons momentos a quem gosta de música”.

“A ideia é que cada um, em sua casa, se divirta e dance ao som das músicas que animavam as discotecas, aos domingos à tarde, naqueles tempos. Seria muito bom que houvesse depois também um ‘feedback’ desses momentos, através de fotografias ou pequenos vídeos que possam partilhar”, adiantou.

O conceito dos domingos à tarde passados na discoteca “há muito que desapareceu”, mas Zezé quer relembrá-los num momento “particularmente difícil para todos”, devido à pandemia de covid-19

“Quando temos mais tempo livre a música é, sem dúvida muito importante para nos fazer acreditar”, referiu.

No convite que lançou aos seguidores no Facebook para “uma verdadeira matinée à moda antiga não se esquecer de lembrar a realidade atual: “Ficando o máximo possível em casa, ganharemos esta guerra”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here