Feira de Troca de Sementes de Paredes de Coura

0
Feira de Troca de Sementes de Paredes de Coura

A Feira Anual de Troca de Sementes regressa este sábado, 23 de fevereiro, a partir das 14h00, ao Museu Regional de Paredes de Coura.

Organizada pelo Município e a Associação Quinta das Águias, em colaboração com o Agrupamento de Escolas de Paredes de Coura, esta 5.ª edição da Feira Anual de Troca de Sementes completa-se com workshops, oficinas e caminhadas.

O objetivo desta iniciativa é proporcionar o encontro e convívio entre pessoas que valorizam as sementes e plantas locais e que ativamente contribuem para a sua preservação, face ao perigo de extinção provocado pela concorrência de variedades híbridas e transgénicas, que prejudicam o equilíbrio dos nossos ecossistemas.

“A progressiva perda de variedades genéticas de muitas sementes constitui um perigo para a humanidade, porque muitas dessas variedades eram mais resistentes a pragas e doenças. Além do mais, estas representam um património que importa não perder. A educação, a informação e a partilha são das armas mais importantes para contrariar a crescente perda de muitas sementes, quer por desleixo quer pela influência e pressão dos grandes grupos agroalimentares”, defende Vitor Paulo Pereira, presidente da Câmara de Paredes de Coura, reforçando a importância “de preservar a biodiversidade biológica e incrementar as formas sustentáveis de produção de alimentos, porque simultaneamente contribuímos para uma alimentação mais saudável e um modo de produção mais justo”.

Feira de Troca de Sementes de Paredes de Coura

Sabiam que perdemos 94% de sementes de vegetais no século XX
Das 544 variedades de couve, restam 28
Das 158 variedades de couve-flor, restam nove
Das 55 variedades de couve-rábano, restam três
Das 34 variedades de alcachofra, restam duas
Das 288 variedades de beterraba, restam 17
94% das espécies de pepino estão perdidas
90 por centro das espécies de pepino estão perdidas
A diversidade dos stocks de sementes está tão ameaçada como o panda, a águia-real ou o urso polar

A preservação das sementes autóctones assume uma importância vital, uma vez que são cada vez mais raras, sendo progressivamente substituídas por sementes comerciais, que são as mesmas em todo o mundo, enquanto as sementes locais se foram adaptando durante muitas gerações às condições de solo e clima específicas da sua região de origem. Uma vez que as sementes contêm o futuro da vida, é importante mantê-las vivas.

A Troca de Sementes vai proporcionar às pessoas o acesso às sementes originais que as poderão cultivar para sua própria utilização e para as manter vivas. Todos os que quiserem participar poderão trazer as suas sementes ou plantas para partilhar e trocar.

Programa:
9h30 – Caminhada com Rita Roquette
“Quem são as sementes bravias”
As plantas silvestres são fonte de alimento, medicina, matéria prima que nos abriga e nos ajuda a criar. Nesta caminhada vamos ser capazes de identificar algumas espécies de plantas espontâneas que estão acordadas nesta altura do ano e que são as nossas maiores aliadas.
Encontro no Museu Regional

Se chover:

Oficina com Rita Roquette que focará a nossa capacidade espontânea e intrínseca de apreender o mundo natural, em especial o mundo das plantas.
Vamos observar bem de perto as plantas espontâneas e perceber como estas evoluíram para se adaptarem ao habitat e como nós, tal como elas, somos um reflexo do meio onde vivemos.

14h30 no Museu
– Workshop de Bolachas de sementes com pepitas de chocolate, por Joep da Quinta das Águias
– Troca de Sementes onde, para além de sementes, também se poderão trocar plantas, ervas aromáticas, árvores e estacas, como macieiras autóctones e outras árvores de fruto. Ficam excluídas as sementes e plantas comerciais, híbridas e transgénicas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here