FEIRA DO ALVARINHO JÁ ABRIU // GOVERNANTE E OUTRAS AUTORIDADES MARCARAM DISCURSOS

MONÇÃO

0

Já foi inaugurada a Feira do Alvarinho de Monção que, este ano , compreende 122 expositores de vinho Alvarinho, tasquinhas, fumeiros, doçaria, artesanato, instituições locais e patrocinadores oficiais.

A Câmara de Monção fez agora o maior investimento de sempre no certame, mais de 200 mil euros, e na abertura, hoje ao final da tarde, esteve presente o secretário de Estado do  Adjunto e do Comércio, Paulo Alexandre Ferreira. Que, porém, chegou com mais de uma hora de atraso em relação à hora marcada (17h)!

Na abertura marcaram presença, entre outros, autarcas monçanenses e os presidentes dos vizinhos municípios de Melgaço e V. N. Cerveira, Salvaterra e As Neves, bem como de Vichy, em França (perto de Paris). Também deputados, como José M. Carpinteira e Sandra Pontedeira, e o presidente da Comissão de Viticultura dos Vinhos Verdes, Manuel Pinheiro.

O governante, na oportunidade, enfatizou o prestígio do certame no setor e a aposta de continuidade e, mesmo, do alavancar da sub-região Monção e Melgaço. Referiu-se, ainda, às estratégias de desenvolvimento local que potencia, incluindo a nível turístico (enoturismo, turismo de natureza e património), bem como ao setor da inovação.

Referindo-se à única preocupação publicamente manifestada (diz preferir negociar na quietude dos gabinetes) pelo chefe do município de Monção, Augusto Domingues, referente às linhas financiadoras para o comércio de proximidade, Paulo Ferreira informou que, recentemente, foi criado um grupo de trabalho com o fim de definir os moldes desses apoios. Deverá, adiantou, ter o seu trabalho concluído em finais de novembro.

O edil Augusto Domingues, na sua intervenção, fez um pouco da história do vinho de Monção que foi o primeiro, disse, a ser exportado para Inglaterra. Referiu-se, ainda, ao reforço da excelência da marca da sub-região de Monção e Melgaço, da suas expetativas na promoção a ser desenvolvida, dos mais de 2 mil viticultores que nela vivem e da necessidade de serem “ressarcidos” por um valor justo pelo quilograma do produto. Falou, mesmo, na urgência de “defender o território”.

SONY DSC

TEMPLO DE BACO

José Emílio Moreira, agora grão-mestre da Confraria do Alvarinho, que, no final, fez um brinde com os confrades, elegeu o local como o “Templo do deus Baco” e apelou ao Governo para dar atenção à agricultura de minifúndio. Argumentou também ser tempo de Monção e Melgaço se unirem para “defender o futuro”. Falou ainda dos 6, 5 milhões de litros produzidos e do facto de apenas um milhão ser comercializado como Alvarinho doc. (denominação de origem). Um facto com que, no final, confrontamos Augusto Domingues que não mostrou preocupação com o facto, referindo a qualidade de muitos sucedâneos, nomeadamente, os espumantes.

Uma nota, ainda, para a intervenção de Miguel Queimado, presidente da Associação de Produtores de Alvarinho (APA), que considerou a presença de 30 produtores no certame e as muitas marcas presentes no certame como “um exemplo da nossa força”.

Aludiu, ainda, às campanhas de promoção que estão a ser promovidas para colocar o produto Monção/Melgaço na “mente” dos consumidores, possibilitadas na sequência do “acordo do Alvarinho”, em 2015, e da sub-região ser a primeira a ter sêlo próprio. Referiu-se ao decreto de 1908 (há mais de 100 anos) que criou a sub-região e da convicção de que vamos “vencer os próximos 100 anos”.

No final da sessão solene, as autoridades percorreram os diversos stands das Feira do Alvarinho.

TEMPO FAVORÁVEL

O tempo está favorável para estes três dias do certame. A organização diz esperar a presença de 80 mil pessoas de diferentes idades e nacionalidades, prevendo que o volume de negócios neste fim de semana seja superior a meio milhão de euros. Valor referente às transações na feira mas também ao alojamento, restauração, cafetarias e pequeno comércio do concelho.

O certame, com uma área coberta e outra descoberta, compreende 122 expositores de vinho Alvarinho, tasquinhas, fumeiros, doçaria, artesanato, instituições locais e patrocinadores oficiais. Disponibiliza ainda multibanco, sanitários, posto médico, serviço Wi-Fi, espaço lounge, espaço Revista Vinhos, espaço multiusos e área infantil com ateliês para crianças dos 4 aos 10 anos.

Além de animação musical com grupos populares e DJ`s conhecidos do público, como Zé Pedro (Xutos e Pontapés) e Fernando Alvim, estão previstas diversas conferências temáticas sobre as caraterísticas do Alvarinho e lançamento de publicação sobre a memória e o futuro do Alvarinho.

SONY DSC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here