Parque Peneda-Gerês com Plano-Piloto

0
Parque Peneda-Gerês com Plano-Piloto

PROJETOS TOTALIZAM 8, 4 MILHÕES DE EUROS

Um Plano-Piloto está a ser desenvolvido na área do Parque Nacional da Peneda-Gerês. No total, são 11 ações que incluem o ordenamento, restauro e conservação de matas, reforço de redes móveis, revitalização dos setores produtivos tradicionais e criação de equipas de apoio aos agentes florestais.

“Há projetos mais direcionados para determinadas zonas e para determinados hectares de intervenção. Mas há projetos transversais, pelo que se pode considerar toda a área abrangida” – refere, à VALE MAIS, Sónia Almeida, administradora-delegada da ADERE Peneda-Gerês, Associação de Desenvolvimento das Regiões Parque Nacional, sedeada em Ponte da Barca.

Além da Adere-Peneda Gerês plano envolve o ICNF (Instituto de Conservação de Florestas), o IPVC (Politécnico de Viana do Castelo) e os cinco municípios do Parque – Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Melgaço, Terras de Bouro e Montalegre.

A área do Parque abrange 70 mil hectares e a população aproxima-se dos 9 mil habitantes. “Podemos afirmar que, de alguma forma, todos beneficiarão com os projetos que estão a ser implementados” – sublinha Sónia Almeida.

Parque Peneda-Gerês com Plano-Piloto

AÇÕES INICIARAM-SE EM 2017

As 11 ações referentes a este processo iniciaram-se em 2017 – “o prazo, na maioria dos projetos, será de três anos, prevendo-se (e desejando-se) que tenha depois continuidade”, diz-nos Sónia Almeida ­– passam, em concreto, pelo restauro das matas do Mezio e do Ramiscal, da prevenção estrutural e conservação da Mata Nacional do Gerês e o ordenamento e sustentabilidade da zona de proteção da Mata de Albergaria.

De igual modo, visam a informação e participação socioeconómica dos agentes locais, conservação das populações autóctones de pinheiro silvestre, conservação de florestas mediterrânica de Taxus Baccata, melhoria da cobertura da rede móvel, expansão e melhoria de habitats prioritários e vegetação autóctone, revitalização dos setores produtivos tradicionais e equipas e equipamentos para complementar a ação do corpo de agentes florestais.

No total, as estimativas orçamentais dos projetos totalizam totalizam mais de 8, 4 milhões de euros de investimento, com financiamentos na ordem dos 85% e dos 100%.

PROJETOS:

1 Restauro Da Mata Do Mezio
2 Restauro Da Mata Do Ramiscal
3 Programa De Prevenção Estrutural e Conservação Da Mata Nacional Do Gerês
4 Ordenamento e Sustentabilidade da Zona De Proteção Total Da Mata De Albergaria
5 Informação e Participação Socioeconómica dos Agentes Locais
6 Conservação das Populações Autóctones de Pinheiro-silvestre Do PNPG
7 Conservação das Florestas Mediterrânicas de Taxus Baccata (teixo)
8 Melhoria da Rede Móvel
9 Expansão e Melhoria de Habitats Prioritários e Vegetação Autóctone
10 Revitalização dos Setores Produtivos Tradicionais
11 Equipas e Equipamentos para Completar a Ação Do Corpo Nacional De Agentes Florestais

Parque Peneda-Gerês com Plano-Piloto

MAIS DE 3 MILHÕES PARA EQUIPAS E EQUIPAMENTOS

Os maiores montantes estão previstos na Mata do Mezio (cerca de 1, 2 milhões de euros, execução distribuída por oito anos), com o rearborizar 495,5 da área florestal ardida com espécies autóctones, regulação do pastoreio e implementação do plano de gestão florestal e fruição do espaço natural; e para e equipas e equipamentos para complementar a ação do Corpo Nacional de Agentes Florestais (3, 8 milhões por seis anos), mobilizar equipamentos e meios para a execução das ações previstas no Plano-Piloto, designadamente no domínio da prevenção (gestão de faixas de combustível, recuperação e abertura de acessos, etc.) e da recuperação de habitats, da vigilância no combate a incêndios e operações de rescaldo.

Durante a apresentação do Plano-Piloto em Ponte da Barca, o presidente da Câmara Municipal, Augusto Marinho, observou, acerca do plano que surgiu na sequência dos incêndios florestais que assolaram o PNPG nos últimos anos e da necessidade de se prevenirem ocorrências futuras com melhoramentos estruturantes, que este vai de encontro à superação dos constrangimentos mais graves que se detetam no parque. “Queremos que seja um pólo dinamizador e impulsionador do desenvolvimento do concelho”, referiu.

O edil salientou, ainda, que a elaboração deste plano e destes projetos tem contado com o envolvimento “das populações, dos conselhos diretivos de baldios, das juntas de freguesia, das autarquias e da ADERE Peneda-Gerês”.

O desenvolvimento deste plano compreende, pois, também contacto com as populações envolvidas, através de sessões de informação locais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here