REUNIÕES DA VEREAÇÃO DE MONÇÃO NAS DIVERSAS FREGUESIAS. VEREADORA DO PS PEDE SUSPENSÃO POR UM ANO

MONÇÃO

0

A ideia inicial dos vereadores eleitos do PS, referida, em primeira mão pela VALE MAIS, terá sido a de não assumirem funções, após a derrota desta força política nas autárquicas de 1 de outubro. Todavia, como referiu Augusto Domingues, agora ex-presidente, “alguns dias passaram e temperaram a minha mente”. Tomou posse e assumiu funções de vereador na oposição, tal como Paulo Esteves. Já o mesmo não sucedeu com Conceição Soares que, após a tomada de posse, pediu suspensão do mandato por um ano, sendo substituída por Nídia Além, número seguinte na lista. A justificar a sua decisão, Conceição Soares, funcionária municipal, alegou ética profissional e deontológica.

A primeira reunião do novo executivo municipal, presidido por António Barbosa, realizou-se esta quarta-feira à noite, na Biblioteca Municipal de Monção. Auditório com as cadeiras preenchidas numa sessão camarária com todos os pontos aprovados por unanimidade e com algumas novidades em relação aos últimos anos.

As reuniões quinzenais, habitualmente realizadas na sede do concelho, passarão a decorrer nas freguesias. Mantem-se a segunda–feira, contudo, o horário passa a ser às 21h00.

Esta alteração ao regimento vem de encontro ao compromisso manifestado pelo PSD no decorrer da campanha eleitoral, tendo como finalidade uma maior aproximação entre os eleitos e os eleitores e uma perceção mais condizente das preocupações e prioridades locais pelo atual executivo.

António Barbosa explica: “Queremos uma política aberta e transparente todos os dias e não de quatro em quatro anos. Esta descentralização tem como propósito incentivar a participação das pessoas na construção da sua freguesia, do seu concelho. Conhecem o seu território melhor que ninguém e as suas opiniões são fundamentais no nosso projeto”.

Três vereadores em regime de permanência

Por proposta da presidência, foi aprovada a fixação de mais um vereador em regime de permanência. Uma decisão que visa repartir as funções do anterior pelouro das atividades socioculturais, garantindo maior atenção e prioridade ao setor da educação.

Desta forma, João Oliveira, vice-presidente, assume a pasta da ação social cultura e turismo. Duarte Amoedo será o responsável pelas obras e urbanismo e Natália Rocha pela educação e recursos humanos.

A junção das duas áreas (educação e recursos humanos) atenta ao “significativo número de funcionários camarários a trabalhar nas escolas” e “à previsível delegação de competências do Ministério da Educação nas autarquias locais”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here