Situação operacional no Distrito de Viana do Castelo até ao momento

0
Distrito de Viana do Castelo com AVISO VERMELHO

Número de ocorrências registadas (entre as 15:00 do dia 18 de dezembro e as 09:00 do dia 19 de dezembro): 146 Ocorrências

Número de Operacionais: 473

Número de veículos: 189

Das ocorrências registadas salienta-se o maior número relativamente a quedas de árvore, inundações e queda de estruturas.

Os concelhos mais afetados foram, Viana do Castelo, Ponte de Lima e Arcos de Valdevez.

Medidas preventivas

A ANEPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

  • O cidadão deve ter uma atitude pró-ativa, garantido a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas pluviais dos quintais, varandas, caves e garagens, limpeza de sargetas e caleiras dos telhados de habitações, bem como verificar os sistemas de bombagem existentes.
  • Desobstruir as linhas de águas principalmente junto a pontes, aquedutos e outros estrangulamentos de escoamento;
  • Repor coberturas de edifícios em obras e garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Recolher ou triturar os resíduos resultantes do corte dos salvados das áreas ardidas localizadas nas margens das linhas de água e de catividades agrícolas e florestais existentes nas margens das linhas de água;
  • Regularização de eventuais situações de eventuais desmoronamentos das margens das linhas de água, de modo a evitar obstruções ou estrangulamentos;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível a formação de lençóis de água nas vias.

A ANEPC recomenda também a adequação de comportamentos e atitudes face à situação de perigo de cheias/inundações, nomeadamente à adoção das medidas de prevenção e precaução adequadas. Todas as situações devem ser devidamente sinalizadas e alertando as autoridades, permitindo assim a eficaz intervenção das forças de proteção e socorro.

No que diz respeito a cheias e inundações, veja o artigo que foi publicado na REVISTA VALE MAIS n.º70 dezembro/janeiro, e que também está disponível aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here