Três novas Equipas de Intervenção Permanente

ALTO MINHO

0

Em Monção, Arcos de Valdevez e Ponte de Lima

O Secretário de Estado da Administração Interna, João Almeida, apadrinhou as cerimónias de constituição de Equipas de Intervenção Permanente (EIP) nas corporações de bombeiros de Monção, Arcos de Valdevez e Ponte de Lima.

Um dos protocolos realizados, foi assinado no Museu do Alvarinho, no passado 15 deste mês, dia em que arrancou a fase bravo de combate a incêndios florestais.

Estes protocolos têm como finalidade a criação de uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP) nestas três corporações, cuja missão consiste em assegurar serviços de socorro à população local em situações de incêndio, inundação, desabamentos, abalroamentos e outras intervenções no âmbito da proteção civil.

Na sua intervenção, o Secretário de Estado focalizou-se na melhoria de condições para “atacar” o período de verão, realçando que o dispositivo aéreo está estabilizado e o dispositivo terreste foi maximizado com a criação de 17 novas equipas de intervenção permanente, passando de 50 no último ano para 67 no atual.

A Equipa de Intervenção Permanente será constituída por cinco bombeiros em regime de permanência com uma carga horária semanal de 40 horas. Os custos serão suportados, em partes iguais, pela autarquia local e Autoridade Nacional de Proteção Civil, representando um investimento global de 50 mil euros.

Satisfeito com a assinatura do protocolo, o presidente da corporação monçanense, Paulo Rocha, observou que a EIP reforçará a resposta dos bombeiros no socorro à população, facilitando uma intervenção mais rápida e eficaz na defesa de pessoas e bens. Alertou, ainda, o governante para a necessidade de apetrechar os bombeiros com mais material e equipamento de apoio.

Por fim, o autarca monçanense, Augusto Domingues, sublinhou o contributo do protocolo no combate a incêndios florestais e em situações de perigosidade para a comunidade local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here